Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Paraibano mantém greve de fome por Lula em frente ao STF: “Não sairei por minhas pernas”

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O bancário Cícero Ezequiel Filho, de 61 anos, conversou neste domingo, 19 de agosto, com o ParlamentoPB. O paraibano de Catolé do Rocha e filiado ao PSOL completa hoje seu 16º dia de greve de fome e permanece em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, em uma manifestação voluntária que já lhe causou a perda de 5 dos 56 quilos que tinha no início do protesto. Mesmo com o sofrimento do corpo, a firmeza de intenção permanece: “Estou bem. Não sairei daqui com as minhas pernas”, disse ele, explicando que irá às últimas consequências em sua manifestação: “Se eu sair, será o Samu que vai me levar. Ou, num caso extremo, se eu não resistir, quero que minhas cinzas sejam jogadas sobre os tribunais de exceção, como o STF, o Superior Tribunal de Justiça, o Palácio do Planalto e o TRF da 4ª Região”.

O motivo do protesto de “Seu Ciço”, como é mais conhecido o funcionário da Caixa Econômica Federal da rua das Trincheiras, na capital da Paraíba, é a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. Ele entende que a detenção do líder político é um caso de perseguição e tem a única finalidade de evitar que o petista seja eleito: “Lula é um preso político que não é libertado porque oferece o imenso risco de poder ganhar as eleições. Estou em greve de fome para que o STF paute as Adins 43 e 44 que tratam da legalidade da prisão em segunda instância. Não sou do partido dele e nem isso é um ato partidário. Minha greve é pelos desmandos que têm sido feitos neste país desde que houve o impeachment. Estou aqui contra a reforma trabalhista e contra toda a retirada de direitos”, explicou Ciço.

O manifestante paraibano aderiu à greve de fome por um chamamento da Via Campesina e deixou de se alimentar depois que outros ativistas políticos já haviam iniciado o mesmo movimento. Hoje, os outros sete manifestantes completam 19 dias em Greve de Fome por Justiça no STF. Entre eles, há outro paraibano: Luiz Gonzaga, o Gegê (da Central dos Movimentos Populares – CMP). O grupo ainda é integrado por Frei Sérgio Görgen e Rafaela Alves (do Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA), Jaime Amorim, Zonália Santos e Vilmar Pacífico (do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST), Leonardo Soares (do Levante Popular da Juventude). De acordo com informações médicas, eles se encontram com a saúde bastante fragilizada e passam a fazer uso de camas hospitalares para seu repouso e de cadeiras de rodas nos deslocamentos.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

‘Festa da Adoção’ tenta aproximar crianças e adolescentes de pessoas aptas a adotar

Presidente do PT é acusado de cometer etarismo contra Luiz Couto

Anteriores

edsonfachin

Ministro do STF decide arquivar ação contra reeleição antecipada de Adriano Galdino

Sodiê

Governo da Paraíba dispensa emissão de documentos fiscais em mercadorias doadas ao RS

lovina

MPF intervém e Prefeitura de Cabedelo demole obra ilegal de contenção marítima do Lovina

chuvasrs (1)

Com chuva forte, água sobe pelos bueiros e volta a inundar ruas em Porto Alegre

1af1367b-89e5-4e87-ae7e-586266147ed4

Paraíba participa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite a partir de segunda

tourinho1 (1)

APCA homenageia imprensa da Paraíba com a Comenda Acadêmico Mário Tourinho

Poste, batida

Paraíba registra 242 colisões em postes este ano; João Pessoa e Campina lideram

Lixão a céu aberto

Prefeitura de Catolé do Rocha deve pagar indenização por lixão a céu aberto

Luciano Cartaxo 3

Luciano Cartaxo tem alta e deixa hospital em João Pessoa

PF operação

Operação da PF mira empresas clandestinas de segurança privada