Multidão vai à praia para solidariedade a pessoas com deficência alvo de discriminação

O fato de um grupo de senhoras moradoras do Cabo Branco ter ido à Câmara Municipal para tentar impedir a frequência de pessoas com deficiência à praia surtiu o efeito contrário. Com a intensa repercussão do caso não apenas na Paraíba, mas em todo o Brasil, uma multidão compareceu hoje ao Acesso Cidadão, realizado em frente à Fundação Casa de José Américo, para prestar solidariedade e incentivar os participantes do projeto a continuarem usufruindo do banho de mar a jogos esportivos, lazer e cultura, o que acontece todos os sábados das 7h às 12h.

Em reação à atitude das idosas, muitas autoridades prestaram apoio ao projeto de maneira pública. A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) da Prefeitura Municipal de João Pessoa informou que garante a execução do programa Acesso Cidadão, realizado em parceria com a organização social Acesso Social, que, há seis anos, proporciona cidadania a aproximadamente cem pessoas com deficiência e necessidades especiais de nossa Capital, promovendo atividades esportivas e de lazer, aos sábados, na praia de Cabo Branco.

“O Acesso Cidadão promove momentos de inclusão para aquelas pessoas que, por vezes, não podem entrar no mar por conta de uma limitação física, e, aos sábados, elas também entram em contato com outras pessoas que vêm aproveitar a praia e as belezas da nossa cidade. Vamos continuar o trabalho e reforçar ainda mais o acesso a quem mais precisa”, frisou Diego Tavares, secretário de Desenvolvimento Social.

O deputado federal Ruy Carneiro também estimulou a continuidade do projeto. O parlmentar está trabalhando no Projeto de Lei “Praia Inclusiva”. O PL visa alterar o estatuto das cidades, a Lei Brasileira de Inclusão e a Lei nº 10.098, de 2000, para tornar obrigatória a adaptação das praias, parques e espaços de uso público visando condições acessíveis para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Ruy Carneiro destacou que o projeto vai ser apresentado em breve e repudiou o posicionamento das moradoras do bairro de Cabo Branco, em João Pessoa, que pediram a transferência de local do Acesso Cidadão. ” O Projeto “Praia Inclusiva”, que já estamos trabalhando a algum tempo para que possamos apresentar, vem justamente para assegurar o direito da pessoa com deficiência no que se refere a inclusão. Soube com tristeza, justamente na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, do pedido das moradoras do bairro de Cabo Branco para que os deficientes deixassem de frequentar à praia e o projeto. Isso é um absurdo. Repudio todo e qualquer ato preconceituoso. E estou trabalhando para garantir isto na lei”, afirmou.

O vereador Bruno Farias também prestou sua solidariedade à Assessoria e Consultoria para Inclusão Social – ACIS, entidade sem fins lucrativos, que tem suas atividades voltadas à assistência de portadores de deficiência, imunodeprimidos e convalescentes.

“A ACIS realiza um trabalho extraordinário de inclusão com as pessoas com deficiência. Trata-se de uma grande ação realizada todo sábado pela manhã, de maneira sagrada, faça chuva ou faça sol, permitindo o acesso delas ao mar, para poderem desfrutar das belezas de nossa praia, das águas quentes de nossa orla”, disse Bruno.

O projeto conta, inclusive, com uma equipe multidisciplinar formada por médicos, fisioterapeutas, professores de educação física, assistentes sociais, entre outros. “Essa ação deve ser aplaudida por toda João Pessoa porque é um projeto que serve de modelo para o país inteiro. Cidades de todo Brasil vêm a João Pessoa conhecer essa ação pioneira feita em nossa orla através da dedicação, do compromisso, da responsabilidade, da sensibilidade e da ação da AC Social, através de Genílson”, afirma o vereador.

Bruno finalizou fazendo um apelo à Prefeitura de João Pessoa para que cumpra uma emenda impositiva de sua autoria que destina R$ 50 mil para a ACIS a fim de que continue a desenvolver as suas ações.

Moradoras do Cabo Branco pedem a vereadora que impeça deficientes de irem à praia

Multidão vai à praia para solidariedade a pessoas com deficência alvo de discriminação

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.