Integrantes do Instituto de Direito Eleitoral da Paraíba elegem nova diretoria

Advogados que integram o Instituto de Direito Eleitoral da Paraíba (IDEL-PB) elegeram, por aclamação, a nova diretoria e conselho fiscal para o biênio 2021/2023. Foram eleitos para integrar a Diretoria, por meio da Chapa “ADVOGADO MARCELLO FIGUEIREDO FILHO”: Eduardo Henrique Farias da Costa; como presidente; Diego Fabrício Cavalcanti de Albuquerque, vice-presidente; André Motta de Almeida, secretário-geral; Celso Fernandes da Silva Júnior, secretária-geral adjunta; Thiciane Carneiro Santa Cruz Souza, tesoureira; Myriam Pires Benevides Gadelha, diretora de eventos; Adriana Rodrigues da Silva, diretora de comunicação; João Ricardo Coelho, diretor jurídico; Anástácia Borges Bento, diretor de interiorização.

Para o Conselho Fiscal foram eleitos Monica Nóbrega Figueiredo, presidente; titulares: Emerson Vasconcelos Silva Ferreira, Arthur Martins Marques Navarro, Laura de Albuquerque ; César Mascena Veras; Delmiro Gomes da Silva Neto; Francisco de Assis Remígio II e Israel Rêmora Pereira de Aguiar Mendes; suplentes: Conselheiros Suplentes: André Leandro de Carvalho Lemes, Adriano Ercy Souza Araújo e Marcos Antônio Souto Maior Filho.

O processo eleitoral foi realizado do período de 22 a 23 de julho, por meio da Comissão Eleitoral instituída para coordenar o pleito, tendo como presidente o advogado Carlos Fábio Ismael dos Santos o e membros os advogados Thiago Leite Ferreira e o advogado José Augusto da Silva Nobre Neto, todos integrantes do IDEL-PB. A posse dos eleitos ocorreu neste sábado, de forma automática.

O novo presidente do IDEL-PB, Eduardo Costa, agradeceu aos integrantes do Instituo por sua eleição e os demais membros da nova diretoria. “É com grande satisfação e buscando a consolidação de nossa unidade que agradecemos a confiança de todos e de todas pela aclamação de nossa Chapa “Advogado Marcello Figueiredo Filho” para administrar o IDEL no próximo biênio 2021/2023”.

Eduardo Costa ressaltou o trabalho realizado pelos fundadores do IDEL e da diretoria que está sucedendo, que teve o advogado Fábio Brito como presidente. “De início, deixar o registro de reverência a todos os fundadores do IDEL, saudando-os nas pessoas do mestre Jhonson Abrantes, nosso primeiro presidente, e de Roosevelt Vita, nosso saudoso e eterno cardeal que tanta falta nos faz. Do mesmo modo, a todos os ex-diretores e ex-conselheiros que contribuíram para a consolidação de nosso Instituto, na pessoa do meu irmão Edward Jhonson. Ao amigo Fábio Brito (e seus diretores), grande protagonistas do crescimento do nosso Instituto, os nossos parabéns pela destacada gestão, e, em seu nome, também apresentamos a saudação inicial”, declarou.

O novo presidente afirmou que o momento impõe a todos busca fazer diferente e se reinventar e apresentou com metas ampliar as conquistas e buscar avançar cada vez mais, inclusive com o estimulo da participação de advogadas no Instituto e desenvolver um projeto de valorização da advocacia eleitoralista no interior da Paraíba.

“A mulher advogada continua, a cada dia, conquistando o seu espaço. Há de se reconhecer que a proporção de homens e mulheres no direito esta praticamente equiparada. Contudo, há ainda uma forte resistência, desequilíbrio e desproporcionalidade quanto à participação de advogadas na seara eleitoral, em que pese o merecidíssimo destaque de algumas poucas colegas no cenário estadual e nacional. No nosso IDEL, infelizmente as mulheres representam apenas 10%. A nossa proposta de chapa visa, de forma originária, fomentar a participação da mulher advogada na área eleitoral, com o espaço para 100% das integrantes nos relevantes cargos do IDEL para os próximos 2 anos, a representar histórica maioria na Diretoria e expressiva presença no Conselho Fiscal que, destaca-se, pela primeira vez, será presidido por uma ilustre advogada, Mônica Figueiredo”, comentou. Ele afirmou que dará continuidade aos projetos iniciados pelas exitosas gestões anteriores, almejando no Biênio 2021/2023 o incentivo ao debate permanente sobre o direito eleitoral moderno, com a criação de comissão de revisão doo estatuto do IDEL-PB, e instituição de grupos fixos de estudo, realização de simpósios e congressos, celebração de parcerias entre institutos, academias de outros estados e faculdades. “ Para a realização de curso de pós-graduação na área com maior incentivo e melhor acesso aos integrantes do Instituto, além do diálogo permanente com a Comissão de Direito Eleitoral da OAB e com a Escola Judiciária Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba e do Tribunal Superior Eleitoral, e, sobretudo, objetivando, buscar uma maior valorização e defesa da advocacia eleitoral, é que agradecemos a confiança de todos e de todas com o compromisso de fazer o IDEL ainda maior”, declarou o presidente Eduardo Costa.

O IDEL-PB foi criado em dezembro de 2010, por um grupo de 30 advogados, com o objetivo de aprimorar o estudo do direito eleitoral e discutir questões relacionadas à área. O primeiro presidente do instituto foi advogado Johnson Abrantes.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.