Raniery e Gervásio acusam Zenóbio de tentar mostrar serviço ao “chefe”

Por causa da denúncia feita pelo deputado estadual Zenóbio Toscano (PSDB) sobre o endividamento do Hospital de Guarabira, dois parlamentares governistas partiram para a defesa do Governo e criticaram a postura do tucano. O primeiro deles foi Raniery Paulino (PMDB), que elogiou os investimentos da gestão de José Maranhão (PMDB)no segmento da Saúde. Ele citou que em 2003, quando Cássio Cunha Lima (PSDB) cumpria seu primeiro ano de governo, o serviço de hemodiálise oferecido no Hospital Antônio Paulino

– O serviço foi retirado porque Guarabira não deu maioria de votos ao ex-governador? ou por que tinha o nome de Antônio Paulino, que foi uma grande liderança? Passaram os anos e somente em 2010, quando José Maranhão voltou ao cargo, o serviço voltou, assim como o banco de leite. Lamento muito que venha um parlamentar insensível e não reconheça o trabalho deste hospital, com avanços e investimentos importantes. O que existia? A Paraíba não aplicava os índices constitucionais, mas hoje existem. Havia uma demanda reprimida destes seis anos. É preciso seriedade. Nenhum parlamentar precisa se sujeitar a mostrar serviço a seu chefe político, porque está com inveja porque só um parlamentar foi elogiado e agora o outro quer ser visto e prestigiado. Tantos mandatos e se prestar a esse papel!

O líder do Governo, Gervásio Maia Filho (PMDB), acusou o presidente da CCJ de ter passado seis meses calado durante a gestão de Cássio:

– Nestes últimos dias, parece que sob orientação de alguém, um deputado vai ao plenário e fala por cinco minutos e sai. Ele não tem coragem de debater porque sabe que levará desvantagem. Essa turma passou seis anos e dois meses no Governo. Zé Maranhão em um ano consertou a casa. O buraco era muito grande.

A denúncia de Zenóbio a respeito da uma dívida de R$ 800 mil do Hospital Regional de Guarabira e a respeito do diretor cumprir uma jornada diária de 8 horas no PSF de Cuitegi não foi respondida.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.