PT aciona delegado que ofendeu mulheres e pede indenização por danos morais

A secretária de Mulheres do PT no Estado, Zezé Bechade, anunciou nesta quinta-feira (4) que ela e o Partido dos Trabalhadores vão entrar na Justiça com uma ação contra o delegado Francisco Azevêdo pelas ofensas feitas a mulheres petistas.

Ela elogiou a atitude do governo João Azevêdo em afastar o delegado, mas disse que quer mais.

“Nós queremos que ele seja afastado do serviço público, que ele seja demitido, porque uma pessoa que estudou direito, que é advogado, que exerce uma função de delegado, ele sabe o que está fazendo, ele estudou ética. Ele não tem capacidade alguma de exercer uma função pública, uma função de delegado”, declarou.

Zezé Bechade disse que se reúne nesta sexta-feira (5) com o setor jurídico do PT para decidir sobre a ação, que deve ser dado entrada junto ao Ministério Público e a Corregedoria da Polícia. “Mas eu, pessoalmente, quero uma ação de reparação por danos morais”, frisou.

Ela disse ter recebido com alegria o resultado da votação na Câmara Muncipal de João Pessoa, que aprovou hoje um voto de repúdio ao delegado Francisco Azevedo.

“Vale a luta, vale a gente está sendo mulheres guerreiras que vão à luta. As mulheres petistas são guerreiras que vão à luta por uma sociedade mais justa, sem preconceitos, sem violência contra nós mulheres e contra os homens e a sociedade de um modo geral”, ressaltou Bechade.

A secretária de mulheres do PT lamentou o posiconamento dos vereadores Bruno Farias e Carlão da Consolação, que votaram contra o voto de repúdio, alegando que se tratava de um texto poético. “É vergonhoso ver que ainda tem pessoas que defendem uma pessoa que faz o que fez nas redes sociais e coloca como se fosse uma licença poética. Isso foi um crime contra nós mulheres e sinto que a minha imagem foi maculada com isto”, afirmou.

O movimeto de Mulheres da Paraíba divulgou uma nota de repúdio às declarações do delegado. A nota é assinada por diversas mulheres e entidades representativas da luta dos direitos das mulheres.

Confira a nota:

NOTA DE REPÚDIO ÀS DECLARAÇÕES MACHISTAS DO DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL DA PARAÍBA

“Nada é mais arrogante, violento e agressivo contra as mulheres do que um homem inseguro de sua virilidade” – Simone de Beauvoir.

O Movimento de Mulheres da Paraíba vem a público repudiar as postagens misóginas do delegado da Polícia Civil, Francisco Alves de Azevedo Neto, que usou a suas redes sociais, para atacar de maneira covarde e machista, as mulheres do Partido dos Trabalhadores (PT) com palavras que mostram a sua visão limitada e deturpada em relação à nossa liberdade e sexualidade.

O Brasil vive um período sombrio, desde a eleição em 2018 do Sr. Jair Bolsonaro ao cargo de presidente de República, e isso tem revelado a verdadeira face de algumas pessoas, não importando o cargo público que ocupem. O delegado, que é bacharel em Direito, prestou um desserviço social, além de violar os nossos direitos e a nossa liberdade, disseminando violência, não só contra as mulheres do PT, mas também contra todas nós!

É inadmissível que um delegado, em pleno século XXI, que deve dar o exemplo de respeito e de combate à violência à mulher, utilize as suas redes sociais para propagar preconceito e ódio às mulheres. Que se esconda atrás da tela do computador e destile sua misoginia, o que só demonstra a sua limitação e falta de condições morais para permanecer no cargo que atualmente ocupa.

Sabemos que ao se instalar um governo conservador e com nuances fascistas, os direitos das mulheres são os primeiros a serem atacados. A atitude do delegado da Polícia Civil mostra isso de maneira clara, e só reforça a nossa luta feminista no combate ao machismo, ao racismo, a LGBTfobia, e toda forma de preconceito que seja estimulada por esta sociedade capitalista.

Toda nossa solidariedade às mulheres do PT e de todos os partidos da esquerda que constroem um país mais justo, igualitário e ANTIMACHISTA!!

Assinam a nota:

Movimento de Moradia Mãos Dadas.

Kalyne Lima – Jornalista e Rapper.

Centro de Ecumenico de Estudos Biblicos Cebi/PB.

Articulação de Mulheres Brasileiras da Paraíba – AMB/PB

Marcha Mundial das Mulheres – MMM.

Setorial de Mulheres do Psol.

Articulação das Mulheres Indígenas da Paraíba- AMIP.

Glaucia Lima – Cantora.

Mandato da Vereadora Sandra Marrocos – PSB.

Movimento de Mulheres Olga Benário.

Luzenira Linhares – Secretária Estadual de Mulheres da CUT/PB.

Almeria Carniato – SENGE/PB.

Projeto Liberdade Igualdade, Sororidade- LIS.

Magali Pontes da Silva – Sindicato dos Bancários/PB.

Douraci Vieira – Assistente social e Feminista.

Carolina Vieira, Publicitária, Deficiente cadeirante e Feminista.

Verônica Oliveira, Conselheira Tutelar e feminista.

Solange Moura, Assistente Social e Feminista.

Centro de Defesa da Mulher Marcia Barbosa – CDM Cajazeiras/PB.

Coletivo de Relação de Gênero do SINTEP/ Cajazeiras/PB

Elisa Peixoto de Macêdo , Advogada, Presidente da Comissão em Defesa da República e Democracia da OAB PB e Membro da JPT.

Crisantina Cartaxo, Assistente Social.

Itamara Silva, Coordenação Regional
JPT.

Hélia Maria Cortez – Professora.

Terezinha Dantas – Instituto de Cooperação Agrícola – ICA.

União de Mulheres Brasileiras – UBM.

Mítikos Grupo Teatral de Campina Grande/PB.

Nivea Santos Carneiro – advogada, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Lucena/PB

Lucia Figueredo -Secretária de Comunicação da CUT/PB.

Sindicato dos Jornalistas/PB

Secretaria Estadual de Mulheres do PT/PB.

Regina Coeli Araújo Trindade Negreiros – Membro do Conselho Municipal LGBT de João Pessoa; Pesquisadora do Grupo Raízes /UFPB-PPGCR; Escritora; Feminista; Mestre em Ciências das Religiões.

Secretaria Estadual de Mulheres do PMN.

Instituto Feminista Elisabeth Teixeira.

Dora Delfino – Rede de Educação Cidadã.

Lourdinha Dantas – Jornalista e Professora.

Viviane Alves Machado – Assistente Social e Feminista

Socorro Pontes – Professora; Feminista e Defensora dos Direitos Sociais.

Grupo de Mulheres Lésbicas e Bissexuais Maria Quitéria/PB – GMLBMQ.

Maíra Costa – Professora e Feminista

Movimento de Mulheres com Deficiência – MUDE.

Centro da Mulher 08 de Março.

Direção Estadual da Rede de Sustentabilidade PB.

Elo Mulheres em Rede PB.

Mandato da Deputada Estadual Cida Ramos -PSB.

Guia Lima – Professora; Mulheres do SINTEP; Coral Voz Ativa.

Tatyane Guimarães – Professora do Curso de Direito da UFPB.

Fátima Domingues – Coral Voz Ativa.

Benezoete Rodrigues – Enfermeira e Feminista.

Secretaria Estadual de Combate ao Racismos do PT/PB.

Movimento Nacional de Luta Pela Moradia PB.

Secretaria Estadual de Mulheres do PSB/PB.

Gregória Benário – Presidenta Estadual do PC do B/PB
Maria Heloísa da Silva Marinho – Executiva da JPT

Sandra Suely – Professora

PT aciona delegado que ofendeu mulheres e pede indenização por danos morais

2 comentários

  • Zezé Béchade
    12:52

    Mulher de “grelo duro” é “mulher que tem peito”, é um ditado pra dizer que é uma mulher corajosa destemida! Ele pode dizer isso, porque é nosso companheiro e sabemos o teor que ele quer dizer, não teve a intenção de nos desclassificar, nos humilhar ou atacar nossa moral. Muito pelo contrário, ele sempre nos propiciou grandes espaços para exercermos nossa cidadania e direitos!

  • Mário Roberto de Castro
    12:52

    Que eu saiba Lula nunca pertenceu a sociedade capitalista,. Agora gostaria ter visto esse mi mi, da parte de todas as mulheres e associações, que estão nessa relação. Na época que Lula desmoralizou todas as mulheres do seu partido, quando disse que as mulheres do PT, tinham o GRELO DURO…Agora eu pergunto se vocês não vão acioná-lo na justiça? E solicitar do mesmo uma indenização por falta de respeito com todas as mulheres do seu partido.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.