Padastro é preso suspeito de estuprar enteada com deficiência durante 17 anos

O dono de um bar de Goiânia foi preso, nessa sexta-feira (21), suspeito de forçar a enteada, que é cega e tem dificuldades de locomoção, a ingerir bebidas alcoólicas, estuprá-la e humilhá-la por causa das deficiências. Segundo informações da Polícia Civil de Goiás, os crimes aconteceriam há 17 anos.

Uma denúncia anônima levou a Delegacia de Proteção à Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência ao caso. O homem de 59 anos negou os crimes e alegou que criou a vítima, que agora tem 37 anos, como filha e que ela se apaixonou por ele e tem ciúmes da mãe. A titular da delegacia especializada, Ana Lívia Batista, afirmou que tem provas suficientes de que a versão não condiz com a realidade.

“Esses abusos vêm acontecendo de forma reiterada há 17 anos. Essa vítima sofre esses abusos, sempre acompanhados de ameaças de morte, ameaças de que o autor iria colocar fogo na casa com todos os entes da vítima”, afirmou a delegada.

O dono de bar estava foragido, mas foi encontrado ontem em Israelândia, município a 185 quilômetros de Goiânia. De acordo com a delegada, no depoimento, ele negou “de maneira muito fria e cínica” os crimes.

A Polícia Civil descarta o envolvimento ou ciência de outra pessoa da família sobre os abusos. O homem vai responder por estupro de vulnerável, pois a vítima não poderia oferecer nenhum tipo de resistência, e pelo artigo 88 do Estatuto da Pessoa com Deficiência, que fala sobre discriminação. Se condenado pelos dois crimes, pode pegar entre 9 e 18 anos de prisão.

 

 

Foto: Divulgação/Polícia Civil de Goiás

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.