Operação contra fraude em jogos do Campeonato Paraibano cumpre mandado em Campina Grande

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) deflagrou nesta terça-feira (28), a terceira fase da Operação Penalidade Máxima, que investiga supostas fraudes em jogos de futebol. São cumpridos 10 mandados de busca e apreensão em 8 municípios de Goiás e mais quatro estados, entre eles a Paraíba, onde está sendo cumprido um mandado de busca e apreensão em Campina Grande.

Jogos do Sousa, Auto Esporte, Nacional, Goiás e Flamengo estão entre os investigados. Segundo o MP, as partidas dos campeonatos nacionais são do segundo turno e as dos estaduais aconteceram em janeiro e fevereiro. São investigadas possíveis fraudes nos resultados das seguintes partidas:

– Avaí x Flamengo, pela Série A do Brasileirão de 2022;

– Náutico x Sampaio Corrêa, pela Série B do Brasileirão de 2022;

– Náutico x Criciúma, pela Série B do Brasileirão de 2022;

– Goiânia x Aparecidense, pelo Goianão de 2023;

– Goiás x Goiânia, pelo Goianão de 2023;

– Nacional x Auto Esporte, pelo campeonato paraibano de 2023; e

– Sousa x Auto Esporte, pelo campeonato paraibano de 2023.

A investigação apura que um grupo criminoso oferecia dinheiro para jogadores receberem punições, como cartão amarelo, vermelho, cometimento de pênalti ou placar parcial na partida. Desta forma, os integrantes do esquema lucravam em sites de apostas esportivas.

A reportagem pediu um posicionamento aos clubes: Avaí, Flamengo, Náutico, Sampaio Corrêa, Náutico, Criciúma, Aparecidense, Goiás, Goiânia, Nacional, Auto Esporte e Sousa.

O presidente do Sousa, na Paraíba, Aldeone Abrantes, disse que foi pego de surpresa. Disse que o clube não foi notificado ainda ou procurado pela Justiça. Afirmou que não compactua com esse tipo de prática e que está à disposição da Justiça para qualquer esclarecimento.

O Criciúma informou que o time não foi acionado e o jogador expulso da partida era do Náutico. Os demais clubes não responderam até a última atualização desta reportagem.

Mandados

A operação é feita por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Coordenadoria de Segurança Institucional e Inteligência (CSI). A ação conta com apoio da Polícia Militar de Goiás, do Cyber Gaeco do Ministério Público de São Paulo e dos Gaecos dos Estados da Paraíba, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Os mandados são cumpridos em Goiânia (Goiás), Bataguassu (Mato Grosso do Sul), Campina Grande (Paraíba), Nilópolis (Rio de Janeiro), Santana do Parnaíba (São Paulo), São Paulo, Volta Redonda (Rio de Janeiro) e Votuporanga (São Paulo).

Penalidade Máxima

A terceira fase da operação é um desdobramento das fases I e II, deflagradas em fevereiro e abril deste ano. Segundo o MP-GO, até o momento, três denúncias recebidas pelo Poder Judiciário, com 32 pessoas acusadas de crimes de integrar organização criminosa e corrupção em âmbito desportivo.

ParlamentoPB com G1GO

Imagem: Divulgação/MPGO

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

Anteriores

choque policia militar pmpb

MAIS LIDAS