Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

MP cobra controle de doses da vacina contra Covid em São Bento e Paulista

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

 

A Promotoria de Justiça de São Bento expediu, nesta terça-feira (26), recomendação aos prefeitos e secretários de saúde dos municípios de São Bento e Paulista, no Sertão do Estado, orientando-os a adotar todas as medidas previstas no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19, para garantir o controle sobre as doses dos imunizantes e o respeito à ordem de prioridade na vacinação dos grupos populacionais.

Conforme explicou o promotor de Justiça, Osvaldo Lopes, os gestores deverão seguir o Informe Técnico, a Nota Informativa nº 1/2021 e a Portaria nº 69/2021 do Ministério da Saúde e demais atos normativos e/ou legislativos pertinentes ao assunto. Isso implica dar transparência a todo o processo de execução da vacinação nos municípios, inclusive com a divulgação semanal das metas vacinais atingidas; a elaboração e divulgação de um plano de vacinação local, detalhando os grupos que serão vacinados em cada etapa e os quantitativos correspondentes para permitir o controle da população e inserir informações sobre ele no sistema do Ministério da Saúde.

Implica, sobretudo, obedecer a ordem de prioridade em relação aos profissionais de saúde, em que os primeiros a serem imunizados devem ser as equipes de vacinação envolvidas na imunização dos grupos elencados para as 6 milhões de doses, nesta primeira etapa; seguidos dos trabalhadores das instituições de longa permanência para idosos e de residências inclusivas para pessoas com deficiência; dos trabalhadores dos serviços de saúde públicos e privados, tanto da urgência quanto da atenção básica, que atuam na linha de frente da covid-19 e, por fim, os demais trabalhadores de saúde.

A recomendação também será encaminhada aos Conselhos Municipais de Saúde para que exerçam, no âmbito de suas atribuições, o controle social que lhes foi atribuído pela Lei nº 8.142/90, fiscalizando a execução dos planos locais de vacinação contra a Covid-19, encaminhando à Promotoria de Justiça relatórios semanais das suas atividades.

Para ler a recomendação na íntegra, clique AQUI.

Outros municípios

No último dia 20, o procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico, e o corregedor-geral do MPPB, Alvaro Gadelha, expediram uma recomendação conjunta a todos os promotores de Justiça do Estado que atuam na defesa da Saúde para que adotem as providências necessárias no sentido de fiscalizar a execução da vacinação contra a covid-19 em seus respectivos municípios.

A medida foi adotada em razão de denúncias de que pessoas que não integram os grupos prioritários estariam “furando a fila”, em descumprimento à ordem de prioridades estabelecidas pelo Plano Nacional de Imunização e pelo plano elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB).

Em nota técnica, a SES-PB e o Conselho de Secretários Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems) previram como prioridade entre os trabalhadores da saúde aqueles que estão nos serviços de linha de frente contra a covid-19. O documento estabelece o quantitativo e os percentuais para o grupo prioritário, prevendo-se para a Paraíba, dada a possibilidade de perda técnica, 42.925 doses para o grupo formado por 34% dos trabalhadores da saúde; 10.432 doses para a população indígena que vive em terras indígenas; 1.212 doses para idosos com 60 anos ou mais institucionalizados e 120 doses para pessoas com deficiência institucionalizadas.

Na recomendação, o PGJ e o corregedor-geral enfatizam que os promotores de Justiça devem apurar as denúncias e adotar as medidas necessárias para responsabilizar os infratores, além de cobrar dos gestores medidas que coíbam irregularidades.

Vários promotores de Justiça têm expedido recomendações, desde que a Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, no último dia 17, o uso emergencial da vacina CoronaVac (desenvolvida pela farmacêutica Sinovac em parceria com o Instituto Butantan) e da vacina Covishield (produzida pela farmacêutica Serum Institute of India, em parceria com a AstraZeneca, Universidade de Oxford e Fiocruz), o que possibilitou o início da campanha de vacinação em todo o País, de forma gradual.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

UEPB: uma crise democrática

Confusão continua: TRE nega ter chancelado posse de Raissa Lacerda na Câmara

Anteriores

Paulo Braz de Moura, prefeito Poço José de Moura

Pleno do TJPB recebe denúncia contra prefeito de Poço José de Moura

Harrison Targino, presidente da OAB-PB

OAB-PB aprova resolução que atualiza tabela de honorários da advocacia previdenciária

Cícero Lucena assina ordem de serviço na Penha

Cícero autoriza obras na Penha, que vai chegar a 100% das ruas pavimentadas

Chuvas e rede elétrica

Meteorologia prevê fim de semana com chuvas em João Pessoa, Campina e outras cidades

Forró Preto no Branco

Funjope leva autêntico forró nordestino para mercados públicos nesta sexta

Santanna no são joãode cg

Santanna e Zé Vaqueiro abrem nesta sexta-feira o São João de Bananeiras

Cícero e o Crea-pb

Crea-PB e Prefeitura de João Pessoa Firmam acordo de cooperação técnica

João Azevêdo 26

João autoriza aumento no número de convocados do concurso da PM e Bombeiros

Lily Sanfoneira

Projeto Café no Forró continua neste fim de semana na Usina Cultural Energisa

Celia Regina e Ivonildes Fonseca, reitoria da UEPB

Professoras Celia Regina e Ivonildes Fonseca são reeleitas para Reitoria da UEPB