Manoel Monteiro decide em 48 horas se Veneziano fica ou sai da Prefeitura

Caberá ao desembargador Manoel Monteiro decidir, em até 48 horas, se o prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) permanecerá no cargo, suspendendo temporariamente os efeitos da cassação determinada ontem pelo juiz da 16ª zona eleitoral, Francisco Antunes, que cassou o mandato do chefe do executivo e do vice, José Luiz Júnior, por captação ilícita de recursos de campanha. A medida cautelar foi encaminhada na tarde de hoje ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Paraíba pelo advogado Carlos Fábio.

Quando chegou ao TRE, o recurso foi encaminhado para o gabinete do juiz eleitoral Manoel Monteiro. Ele tem 48 horas, ou até esta quinta-feira, para dizer se o prefeito campinense fica no cargo ou não.  Um outro recurso, de apelação, deve ser ajuizado em um prazo de três dias, e questiona o mérito da sentença de Francisco Antunes.

No início da tarde, Carlos Fábio havia dito na Rede Paraíba Sat que só ajuizaria o recurso amanhã. Contrariando sua própria previsão, o recurso foi impetrado hoje à tarde, visando evitar que Veneziano e Zé Luiz tivessem que deixar os cargos.

O prefeito e o vice de Campina Grande foram cassados por causa do depósito de um valor aproximado de R$ 50 mil na conta de campanha. A mesma quantia havia sido endossada em um cheque pago pela Prefeitura à Construtora Maranata. A suspeita é de que a empresa tenha desmembrado o pagamento da prefeitura em valores diversos e entregue à conta do então candidato à reeleição o dinheiro que ele mesmo autorizara como pagamento à companhia. O caso conhecido como "Escândalo do Cheque" ou "Aije da Maranata" resultou na cassação, da qual ainda cabe recurso.

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.