João Azevêdo critica pedido de impeachment e diz que se prosseguir na ALPB será “golpe”; ouça

O governador João Azevêdo (Cidadania) criticou nesta segunda-feira (10) o pedido de impeachment contra ele e a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) que está em tramitação na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

O governador disse que caso o processo avance, será de fato um “golpe”, endossando as palavras do deputado federal Damião Feliciano, que disse que que há um golpe em andamento contra João Azevêdo e Lígia Feliciano.

“Aquilo é uma excrescência e depende das atitudes, do prosseguimento e dos passos que serão dados na Assembleia para saber se isso é uma coisa pontual ou se realmente existe um grupo de deputados ou alguém interessado naquilo. A leitura do deputado com relação a peça está mais do que correta. Aquilo não existe juridicamente, e nós vamos avançar na certeza que aquilo será arquivado. O presidente Adriano Galdino tem a verdadeira noção do que é aquilo e o que representa para democracia. Seria sim, caso houvesse prosseguimento, um golpe, como foi dito pelo deputado”, declarou o governador.

Segundo ele, o processo é desprovido de qualquer substância jurídica que possa garantir o prosseguimento de sua análise na Casa.

Ele destacou que para que se haja um processo de impeachment é preciso que se tenha crime de responsabilidade. “E evidentemente que não existe isso”, afirmou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.