Enivaldo ainda analisa apoio nas eleições e diz que é subutilizado em Campina

Vice-prefeito de Campina Grande e presidente do PP, Enivaldo Ribeiro, disse nesta segunda-feira (21), que está sendo subutilizado pelo prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB).”Posso ser mais utilizado”, disse Enivaldo em entrevista à Rádio Arapuan.

“O prefeito vai a Brasília. Ele sabe que temos acesso aos ministérios que são ligados ao PP. Ele poderia vir primeiro a mim pra gente ir com ele, mas acho que ele é meio encabulado e não me leva. As vezes consigo as coisas sem nem ele saber. Também temos Aguinaldo (Ribeiro) lá em Brasília, que tem acesso muito grande”, disse o vice-prefeito.

Enivaldo também falou do espaço ocupado na gestão de Romero em Campina que, segundo ele, é desproporcional ao tamanho do Partido. “Nós damos muito mais do que a gente tem”, declarou.

Segundo ele o PP deveria ter um espaço muito maior. “E esse foi um compromisso que ele teve”, disse, ressaltando, entretanto, que entende o fato de Romero ainda não ter conseguido cumprir com sua promessa.”Também já fui prefeito e entendo que tem as dificuldades que o prefeito tem”, afirmou.

Na entrevista ele falou sobre a participação do PP nas eleições. Segundo Enivaldo, a definição sobre os rumos que o PP vai tomar nas eleições estaduais deste ano serão definidos após o resultado de uma pesquisa encomendada pelo grupo, cujo resultado deve sair ainda esta semana.

Enivaldo disse que a preferência é seguir junto com a oposição. Mas, ressaltou: “Isso não significa dizer que estamos na oposição totalmente”.

Ele questionou a chapa já pronta apresentada pelo PSDB e o PV, que tem o empresário Lucélio Cartaxo (PV) na cabeça de chapa e, como candidatos ao Senado Cássio Cunha Lima e Manoel Júnior.

“O PSDB e o PV fizeram uma chapa já fechada. Eu não entendi como é que o camarada faz uma chapa já pronta e quer enfiar na gente de goela abaixo. Aí não dá. Por isso que nós não aceitamos. Tem que conversar”, frisou.

Ele disse que o PP tem conversado com a vice-governadora Lígia Feliciano, pré-candidata do PDT ao governo da Paraíba. Segundo ele, o PP ainda está na fase do “ensaio”.

Enivaldo fez um histórico do partido, que, ressaltou, é o segundo maior partido do país e o quarto em tempo de televisão. “O partido cresceu e queremos reconhecimento. O PP quer ter o valor que merece, queremos uma atenção maior, não queremos ser coadjuvantes”, frisou Enivaldo.

 

Enivaldo ainda analisa apoio nas eleições e diz que é subutilizado em Campina

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.