Desembargador nega pedido para suspender eleição da API, mas quer 100 votos separados

Uma nova ação impetrada por Walter Santos e Gisa Veiga na noite deste domingo, 9 de setembro, pediu a suspensão das eleições na Associação Paraibana de Imprensa, que deve escolher nesta segunda-feira, 10, sua nova diretoria. O argumento para a solicitação foi de que o pleito estaria viciado pelo ingresso de 100 filiados que não teria obedecido os trâmites regimentais. A intenção do grupo, ligado à Chapa 2, encabeçada pela professora Sandra Moura, era suspender a votação por mais 30 dias.

O desembargador Leandro dos Santos, plantonista, contudo, não acatou o pedido de suspensão, mas determinou que os votos dos filiados cujo ingresso está sendo questionado seja feito em separado e que oficiais de Justiça compareçam aos locais de votação.

A Chapa 2 decidiu não participar do pleito, que contará, portanto, apenas com a Chapa 1, que tem o atual presidente, João Pinto, como candidato à reeleição. A vice é Sony Lacerda.

A Comissão eleitoral disse que a decisão do desembargador Leandro dos Santos não suspende a realização da eleição, que será realizada amanhã. Ele pede apenas que os votos sub judice sejam colhidos em separados.

Leia mais

Chapa de Sandra Moura não vai participar da eleição convocada para amanhã na API

Com fim de ação que impedia eleição na API, comissão marca pleito para o dia 10

Justiça suspende por 30 dias eleições na Associação Paraibana de Imprensa

Comentários