CUT-PB condena “forma desumana” de tratamento aos servidores públicos

A Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB) divulgou uma nota de apoio a todos os servidores do governo do Estado da Paraíba devido às filas registradas para efetivar o cadastramento de contas no Banco do Brasil. De acordo com a nota, a entidade não concorda com a maneira que está sendo realizado o processo, causando desconforto, em especial para os aposentados e pensionistas.
 
“A situação chegou a causar até alvoroço entre os servidores, que pelo contexto de falta de informações mais precisas chegaram a entrar em pânico por medo da não receberem o 13º salário. Sabemos de pessoas mais idosas que chegaram a passar mal por conta da falta de estrutura adequada para receber tantos trabalhadores”, disse o presidente da CUT-PB, Luis Silva.
 
De acordo com o sindicalista, a CUT-PB não é contra o cadastramento, ou contra a transferência de banco responsável pelo pagamento da folha dos trabalhadores, ou ainda contra o Banco do Brasil. “O que não concordamos é com a forma desumana como os trabalhadores estão sendo tratados. Os servidores públicos foram pegos de surpresa e estão tendo que enfrentar uma falta de estrutura que está provocando uma insatisfação geral por conta de filas enormes. Esperamos que numa próxima ocasião seja feito um planejamento adequado para garantir o tratamento humano das pessoas”, destacou.
 
Segue abaixo a nota na íntegra:
 
NOTA
 
A Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB) vem a público discordar da forma como está sendo realizado o recadastramento dos servidores públicos do estado da Paraíba. Enquanto entidade de defesa dos trabalhadores, a CUT entende que o tratamento dispensado está sendo desumano para com os servidores, em especial os aposentados e pensionistas, que estão enfrentando longas filas num ambiente desconfortável, sem estrutura mínima para comportar os trabalhadores e trabalhadoras.
 
A CUT esclarece também que não está  sendo contrária ao recadastramento dos servidores em si, ou ainda contestando a mudança do banco para o pagamento da folha dos trabalhadores e trabalhadoras por entender que esta decisão faz parte das atribuições do Governo do Estado enquanto Poder Público. A CUT também não se posiciona contra o Banco do Brasil, principalmente por ser uma instituição federal, mas é contrária a falta de planejamento para um recadastramento mais humanizado e  respeitoso aos servidores públicos que atuam no cotidiano em defesa dos interesses da população.
 
A CUT espera mais planejamento e organização nas próximas atividades ou eventos a serem realizados por parte do Governo do Estado, com o objetivo de garantir aos trabalhadores um tratamento adequado e mais humano.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.