Crise nos Gadelha: Talles chama André de psicopata

O ex vice prefeito da cidade de Sousa, Talles de Sá Gadelha, esquentou a política paraibana nas últimas horas revelando detalhes sórdidos da campanha eleitoral do candidato a prefeito derrotado André Gadelha (foto) nas eleições do ano passado pelo PMDB.

O desabafo aconteceu depois que Talles Gadelha foi proibido de dar uma entrevista na Rádio Líder FM na tarde da última sexta-feira: "Eu me frustrei e me chateei bastante. A informação eu obtive dos companheiros Eugênio Rodrigues e Juscélio Almeida. Eles estavam ansiosos, entristecidos e ao mesmo tempo preocupados porque mantém um horário na Rádio Líder. Eu fui convidado e depois eles me desconvidaram, por autorização da direção da emissora”.

Talles disse que não tinha a menor dúvida de que a determinação proibindo a entrevista na rádio havia partido do seu primo e ex-candidato a prefeito, André Gadelha: “Não há a menor dúvida de que a intervenção direta foi do candidato do PMDB a prefeito da cidade, derrotado em outubro de 2008. O candidato que teve a prefeitura nas mãos que passou quatro anos no palanque, que passou quatro anos usando dinheiro público para fazer campanha eleitoral e que foi derrotado por um homem novo na política, porém competente que foi o senhor Fábio Tyrone”.

O também ex-vereador disse ter testemunhado uma verdadeira farra com dinheiro da prefeitura de Sousa: “Ele (André) comandou essa cidade fazendo política, comprando adesões, dando emprego em casa de família, distribuindo dinheiro em troca de votos. Quem fez isso foi ele, e fez demasiadamente, de modo excessivo”, destacou Talles.

Ele revelou também que assistiu todos os crimes eleitorais na campanha passada e acabou citando os nomes do ex-candidato a prefeito Lúcio Matos e do empresário, Raimundo Marques. “Assisti isso bastante, demasiadamente. Você acha que Lúcio Matos, grande Lúcio Matos, meu amigo pessoal e o empresário Raimundo Marques que era o vice de Lúcio e que brigaram até seis meses antes de terminar o mandato de Salomão para assumir a prefeitura iriam votar em André Gadelha por conta de beleza?”, disse.

O ex-vice prefeito foi além e disse que o comportamento de André Gadelha se enquadra literalmente nas características de um psicopata. “Os psicopatas são assim. Eles ferem, ofendem, fazem o mal e não sentem remorso, nem culpa. Quem explica isso é a ciência, não é a pessoa de Talles Gadelha. Um comportamento de um psicopata é sempre assim, ele lhe faz o mal sem necessidade de lhe matar. Ele (André) é um demente, é um doente, doente de vaidade. É um homem literalmente falso, perigoso, que gosta de trabalhar com pessoas sujeitas as suas ordens”, disparou.

Talles também criticou a iniciativa do candidato derrotado André Gadelha de impetrar ações na justiça para assumir o comando da prefeitura de Sousa: “Ele insiste com essa tese estaparfúdia, esquisita, desprovida de qualquer consistência de ordem legal de que judicialmente será ungido ao cargo, iludindo pessoas amigas porque não sabe fazer política sem estar presente no poder, uma vez que usou todos os recursos necessários. Quem possuía a máquina administrativa era ele (André). Vamos ser justos e honestos, era ele quem tinha o poder na mão”. 

A entrevista na integra será divulgada na próxima segunda-feira na edição do programa Jornal da Manhã da Rádio Progresso AM, das 7h as 10h.

 

Portal Progresso

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.