Comissão de Saúde da ALPB discute implantação de hospital de campanha e combate ao Covid-19

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta terça-feira (07), sessão remota, para discutir a necessidade da construção de um Hospital de Campanha, na cidade de Patos, para ajudar no tratamento dos pacientes com o coronavírus (COVID-19) na região do Sertão paraibano. O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, participou do debate e garantiu a melhor forma de tratamento para a população da região.

A discussão aconteceu no âmbito da Comissão de Saúde da ALPB, que é presidida pelo deputado Dr Erico, e foi solicitada pelos deputados Nabor Wanderley, Taciano Diniz e Pollyanna Dutra. O presidente da Casa, Adriano Galdino, e dos deputados Jutay Meneses, Estela Bezerra, Moacy Rodrigues, Wilson Filho e Camila Toscano também participaram da sessão. Eles questionaram o secretário da Saúde sobre a possibilidade de ampliação da distribuição de respiradores pulmonares para os hospitais do interior do Estado.

“O infectologista David Uip disse que quem vai determinar quem vive ou quem morre será a unidade de saúde que vai tratar, os equipamentos, insumos e profissionais de saúde, pois é preciso mão de obra especializada. Isso nos faz refletir, e por isso a importância de avaliar a possibilidade de desafogar os hospitais com a construção de uma unidade de campanha para atender os pacientes contaminados pelo vírus no Sertão”, disse o presidente Adriano Galdino.

O secretário Geraldo Medeiros revelou que não será necessária a construção do hospital de campanha no Sertão. Ele disse que as ações da Secretaria da Saúde são suficientes para garantir o atendimento dos pacientes e tranquilizou a população afirmando que há insumos e respiradores para atender os casos mais graves da região.”Não adianta abrir hospitais pelo estado sem equipamentos. Melhor trabalhar bem com a estrutura que planejamos, do que oferecer espaço e não conseguir organizar os atendimentos”, disse.

“Estamos propondo um hospital de campanha em Patos com 80 leitos e respiradores pulmonares, que juntos com os que já existem, cheguem a quantidade de 120, que é o número que a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) solicita”, ressaltou Taciano Diniz. O parlamentar, que é medico e atuou mais de sete anos nos hospitais do Sertão, afirmou que sabe das necessidades dos municípios. “Há uma preocupação, pois uma região com quase um milhão de habitantes vai ter leito de UTI disponível para todos. Uma unidade nova traria menos sofrimento para os pacientes e para os profissionais da saúde”, destacou.

O presidente da Comissão de Saúde da Casa, o deputado Dr. Érico, ressaltou a importância da manutenção do isolamento social e sugeriu ao secretário de saúde a disponibilização de um hospital de referência em Patos. “É importante dar suporte, também, aos profissionais de saúde do Sertão, no sentindo de oferecer um local de retaguarda para eles. Assim, eles manterão a própria família em segurança, enquanto trabalham na linha de frente do Covid-19”, disse.

Já o deputado Nabor Wanderley sugeriu formar uma comissão de avaliação com membros do Poder Legislativo e do Governo do Estado, para que uma vez por semana eles se reúnam e analisem o que está sendo feito na Paraíba. “O Objetivo é passar informação para tranquilizar a população. A nossa reivindicação também é para que a gente tenha um estrutura que suporte receber os casos no Sertão “, disse.

Pollyanna Dutra, que presidiu a sessão, pediu atenção para a região para que o colapso não comece pelo Sertão. Estela Bezerra alegou que sente a necessidade de criar estratégias para investir na tecnologia das universidades. Ela perguntou ao secretário Geraldo Medeiros qual o apoio a Assembleia pode dar para fortalecer a implantação de hospital em Patos. Wilson Filho alertou para o fato de que os números da doença são maiores do que os mostrados. “Mesmo com toda a estrutura montada, não se sabe se será suficiente para atender toda a população”, comentou.

Os parlamentares ressaltaram que a unidade de campanha é essencial já que o Hospital Regional de Patos tem apenas seis leitos de UTI com 12 respiradores, para receber os casos de Covid 19. Ainda assim o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, disse que o Governo está preparado para enfrentar a pandemia. “Não precisamos de uma avalanche de leitos e respiradores, pois somente 5% dos pacientes necessitam de cuidados intensivo. Não há como manter casos graves que precisam de UTI na terceira macro. Esses doentes tem que ser atendidos nos hospitais que garantam profissionais experientes”, explicou

O secretário executivo de Gestão de Rede de Unidades de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, disse aos deputados que questionaram sobre o atendimento aos casos de Covid-19 no Sertão que a Secretaria de Saúde está em contato direto com os representantes dos municípios, acompanhando todos os acontecimentos. “Além disso, desenvolvemos, também, o Centro Estadual de Evidências em Saúde e o Grupo de Intervenção Rápida em Terapia Intensiva, com profissionais disponíveis 24h para oferecer informações científicas e ajudar na tomada de decisões”, disse o secretário

A Secretária Executiva da Secretária de Saúde, Renata Nóbrega, respondeu aos questionamentos dos deputados sobre a chegada de mais equipamentos. Ela destacou que a grande dificuldade de comprar é que os fornecedores não estão vendendo. “O Governo não está medindo esforços, mas não há como comprar, pois os fornecedores não estão vendendo. Criamos um formulário por causa da dificuldade de equipamentos e divulgamos para os gestores nos municípios, para identificar onde existem respiradores. Estamos mapeando”, ressaltou.

Comentários