Comissão ameaça impugnar Couto, que aponta falhas em Anastácio e Arimatéia

A chapa com a qual o deputado Luiz Couto concorre à reeleição na presidência do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores foi ameaçada hoje de impugnação. A queixa apresentada é de que não haveria o mínimo de 30% de mulheres inscritas, como prevê o regimento do PT. A integrante da executiva do Setorial de Mulheres do PT, Lígia Pedrosa, informou que uma reunião a ser realizada na tarde de amanhã vai decidir que providências serão adotadas para esse caso. Ela adiantou que um pedido de impugnação pode ser apresentado pela Comissão eleitoral do partido.

Do outro lado, a assessoria de Luiz Couto negou qualquer tipo de irregularidade e afirmou que apenas uma das mulheres inscritas na chapa esqueceu de anexar o comprovante de pagamento das taxas de contribuição partidária e, obrigatoriamente, está fora da composição. "Foi uma questão meramente burocrática. O que será feito é a renúncia de dois candidatos, para que seja equilibrada a proporção de mulheres, que superará os 30%", disse Zizo Mamede, da assessoria de Couto.

Ele disse que a questão é de "menor relevância" e garantiu que ela será superada brevemente, não tendo reflexo no andamento do processo eleitoral. Em resposta, Zizo adiantou que há problemas mais sérios em relação às chapas de Arimatéia França e Frei Anastácio: "Eles não inscreveram o número mínimo de integrantes. Isso é contra o regimento do partido e inviabiliza a legalidade das duas chapas", declarou.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.