Caminhoneiro paraibano se alimenta com doação e diz que pandemia é pior que guerra

O caminhoneiro paraibano Dorivan Leal, de 56 anos, está na estrada em meio à pandemia do novo coronavírus. Prestando um serviço essencial que não pode parar, ele segue se cuidando nas rodovias e gravou um vídeo agradecendo a doação de comida que ele recebeu no km 900 da rodovia Fernão Dias, município de Rio Manso, em Minas Gerais.

Dorivan revelou ao ParlamentoPB que em mais de três décadas de trabalho nas estradas nunca viu algo assim de isolamento e de sensação de deserto nas rodovias. “Sou caminhoneiro há 36 anos. Nunca passei por uma situação semelhante a essa. Nunca. Na pior das hipóteses, nós tínhamos alimento, apoio em posto de combustível, e hoje nada disso nós estamos tendo. Nunca passei por uma situação dessa.”

Ao ParlamentoPB ele também contou do medo que tem do coronavírus. “Tenho muito medo da doença. Não posso negar. Mas é preciso alguém trabalhar porque se eu parar, e meus companheiros pararem, vai piorar tudo mais ainda. Então eu tomo as devidas providências, evito aglomeração, ficar sempre lavando a mão e se distanciando das pessoas. Sempre passando álcool na direção. É isso aí. Mas medo eu tenho. Mas eu não posso parar.”

Dorivan saiu de Joinville, em Santa Catarina, com destino ao Nordeste. Ele está há 18 dias longe de casa.

Ele pretende fazer entregas no Rio Grande do Norte e Pernambuco e, enfim, chegar em casa, em João Pessoa. No bairro do Geisel, Dorivan espera rever logo a esposa e os quatro filhos.

 

3 comentários

  • C.Duarte
    17:31

    Que Deus lhe Proteja meu Amigo guerreiro abraço estamos Orando por Vcs!!! Venha com Deus…

  • C.Duarte
    17:31

    Que Deus lhe Proteja meu Amigo guerreiro abraço estamos Orando por Vcs!!!

  • José Doriavan
    17:31

    Essa é a nossa realidade de hoje

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.