Bolsonaro pede desculpas por vídeo que compara STF a hienas

O presidente Jair Bolsonaro pediu desculpas ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela divulgação do vídeo publicado em seu Twitter em que compara a instituição a uma hiena que o acossa – ele é representado pela figura de um leão. Em viagem à Arábia Saudita, Bolsonaro disse ao jornal O Estado de S. Paulo que a publicação, apagada de sua conta duas horas depois da postagem, foi um erro.

“Me desculpo publicamente ao STF, a quem, por ventura, ficou ofendido. Foi uma injustiça, sim, corrigimos e vamos publicar uma matéria que leva para esse lado das desculpas. Erramos e haverá retratação”, afirmou o presidente.

O episódio repercutiu mal no Supremo. O ministro Celso de Mello, decano a corte, criticou a publicação e disse que “o atrevimento presidencial parece não encontrar limites”.

A Organização das Nações Unidas (ONU), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), partidos políticos como o PT, o PCdoB e o seu próprio PSL, além de veículos de comunicação, também são representados por hienas no vídeo.

No filme, o rei da selva se alia a outro leão, chamado “conservador patriota”, parte para o contra-ataque e vence seus inimigos. “Vamos apoiar o nosso presidente até o fim. E não atacá-lo. Já tem a oposição para fazer isso!”, dizem os letreiros sobrepostos às imagens da fuga.

“O vídeo não é meu, esse vídeo apareceu, foi dada uma olhada e ninguém percebeu com atenção que tinham alguns símbolos que apareciam por frações de segundos. Depois, percebemos que estávamos sendo injustos, retiramos e falei que o foco (nas redes sociais) são as nossas viagens”, justificou Bolsonaro.

O presidente procurou poupar de críticas o seu filho Carlos, responsável pela atualização de suas redes sociais. “Não se pode culpar o Carlos. A responsabilidade final é minha. O Carlos foi um dos grandes responsáveis pela minha eleição e é comum qualquer coisa errada em mídias sociais culpá-lo diretamente. A responsabilidade é minha, tem mais gente que tem a senha e não sei por que passou despercebido essa matéria aí”, declarou.

Nas últimas semanas Carlos apagou mensagens publicadas no Twitter do pai, alegando que havia se confundido com sua conta pessoal.

Congresso em Foco

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.