Bebê morto no Bessa sofreu engasgo e conclusão da certidão de óbito pode inocentar mãe

O bebê que foi encontrado morto com a mãe, no bairro do Bessa, em João Pessoa, morreu por broncoaspiração (engasgo), segundo aponta a certidão de óbito, emitida pelo Instituto de Polícia Científica (IPC), o que pode ter ocorrido durante alguma amamentação. O delegado Ademir Fernandes informou ao ParlamentoPB que o laudo detalhado da morte da criança deve ser concluído em até 20 dias. O menino morreu na manhã desse sábado (9).

O delegado detalhou que a mãe tem problemas psiquiátricos, estava em surto há cerca de três dias, segundo a família, e foi vista com o bebê no colo, no início da manhã de ontem, por uma tia que daria mamadeira a ele. A sobrinha recusou-se a entregar a criança para a tia, que estranhou o comportamento dela e a quietação do menino.

Um amigo da família que estava na casa foi chamado pela tia para ajudar. A mãe, então, deu o bebê a ele. O homem constatou que a criança estava morta. Tudo aconteceu na casa de um tio onde a mãe estava hospedada para ajudá-lo na recuperação da Covid-19.

A mulher foi levada para atendimento psiquiátrico no Trauminha de Mangabeira. Como ela estava “fora de si”, segundo o delegado, não foi possível coletar ainda o depoimento, o que deve ser feito posteriormente pela Delegacia de Homicídios da Capital, a qual investiga o caso. A certidão de óbito acaba por inocentar, a princípio, a mãe que foi acusada da matar o bebê. O delegado Ademir Fernandes acredita que esse diagnóstico da certidão a ajude, nesse sentido.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.