Assembleia aprova moções de protesto contra desembargadora do RJ

A Assembleia Legislativa da Paraíba aprovou nesta terça-feira (27), por unanimidade, dois requerimentos de autoria do deputado Anísio Maia (PT), que apresentou moções de protesto contra a desembargadora Marília de Castro Neves, do Estado do Rio de Janeiro. Os documentos serão agora enviados à Corte fluminense.

A primeira moção refere-se às afirmações caluniosas da desembargadora à memória da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL), o que gerou abertura de inquérito contra a magistrada no Conselho Nacional de Justiça. Já a segunda moção de protesto deve-se às suas declarações preconceituosas contra a professora natalense Débora Seabra, primeira educadora com Síndrome de Down no país.

“Representando todo o povo da Paraíba, a Assembleia Legislativa decidiu expressar nosso repúdio à conduta tão nefasta aos valores democráticos. Esta desembargadora expressou o que de fato grande parte de seu meio social pensa sobre os brasileiros e brasileiras que lutam e enfrentam dificuldades. Nós, povo paraibano, temos outros valores e a altivez necessária para expressá-los”, afirmou Anísio Maia.

Para Anísio Maia, a desembargadora reforça e reproduz o clima de intolerância que vem se alastrando pela sociedade. O parlamentar acrescentou que a postagem caluniosa de Marília de Castro Neves serviu de base para milhares de fake news sobre Marielle Franco e completou: “Não podemos admitir que um agente público tenha conduta tão reprovável e desagregadora. Se o Poder Judiciário tiver algum apego aos nossos princípios constitucionais não aceitará que esta senhora continue usando a toga impunemente. E me refiro ao Poder Judiciário, porque Justiça é outra coisa”, concluiu.

Comentários