Votos de oposição viram motivo de gargalhada na Câmara

O vereador Renato Martins (PSB) apresentou hoje um requerimento solicitando informações da prefeitura de João Pessoa a respeito do atraso no pagamento de horas extra de servidores da Emlur que trabalharam na coleta de resíduos do projeto Extremo Cultural. A bancada governista alegou que o repasse será feito nos contracheques do mês de fevereiro porque o evento terminou no último domingo, 2. Incomodado, Marco Antônio (PPS) chegou a dizer que a Câmara deveria agir para barrar os pedidos "politiqueiros":
 
"Respeito o colega Renato, mas esse pedido de Renato Martins já foi respondido aqui. Os servidores vão receber. Vamos encerrar essa polêmica porque as informações já foram dadas. Esta Casa deveria encontrar uma forma de evitar discussões politiqueiras que não levam a nada. Estamos perdendo tempo", disse.
 
Mesmo assim, os oposicionistas quiseram uma resposta oficial e insistiram na votação do requerimento.
 
O presidente da Câmara, Durval Ferreira (PP), orientou os vereadores favoráveis à aprovação do requerimento a ficarem em pé. Quando Zezinho Botafogo (PSB), Renato Martins (PSB), Raoni Mendes (PDT) e Lucas de Brito (DEM) se levantaram, os colegas caíram na gargalhada porque o placar é sempre o mesmo. Zezinho também sorriu, mas constrangido com o desproporção de força das bancadas. O prefeito Luciano Cartaxo (PT) tem o apoio de 23 dos vereadores da capital.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.