Vereador campinense defende a monitoração eletrônica de presos

Passando ao largo da polêmica que envolve a instalação de um Albergue Prisional no Bairro do Catolé, o vereador Olimpio Oliveira (PMDB) apresentou e a Câmara Municipal aprovou por unanimidade um requerimento solicitando ao Secretário de Estado da Cidadania e Administração Penitenciária a realização de estudos para a utilização de equipamento de monitoração eletrônica pelos condenados que cumprem pena em regime aberto, semi-aberto, pena restritiva de direitos, prisão domiciliar ou que gozem de livramento condicional. Ao defender sua solicitação na tribuna da Câmara, o vereador Olimpio Oliveira lamentou os últimos desdobramentos que tem colocado a população do Bairro do Catolé em alerta, e considerou que o monitoramento de condenados por meio de tornozeleiras ou pulseiras eletrônicas é bastante utilizado nos Estados Unidos, na França e em Portugal. Além disso, o uso desse tipo de equipamento é mais barato do que manter os presos na cadeia e contribui para diminuir a população carcerária.

"Atualmente em Campina Grande estamos enfrentando um grande problema, pois a área reservada para o albergue no Presídio do Serrotão está na iminência de ser interditada pela Vara de Execuções Penais, devido à insalubridade do local, que por outro lado, o Governo do Estado prepara a remoção dos presos para dois galpões, no bairro do Catolé, que por sua vez, a população daquele núcleo habitacional não vê com bons olhos a chegada dos novos vizinhos", disse o vereador.

Para Olimpio Oliveira que também é delegado da Policia Civil da Paraíba, “O que seria solução esta virando um grande problema, mas, todo este problema poderá ser resolvido se o monitoramento eletrônico que já vem sendo utilizado aqui também em nosso país, fosse implantado em nossa cidade”.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.