Unimed recorre de decisão que a responsabiliza por golpe aplicado em hospital

A Unimed João Pessoa anunciou hoje que vai recorrer de uma decisão tomada pela Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba que manteve sentença do Juízo da 1ª Vara Cível de Campina Grande, condenando a cooperativa médica a pagar R$ 2,6 mil de indenização por danos materiais e R$ 3 mil por danos morais a uma paciente que foi vítima de golpe aplicado dentro do Hospital Alberto Urquiza Wanderley.

No processo, a paciente contou que no dia 16 de março de 2018, enquanto estava internada, recebeu uma ligação no telefone fixo do quarto, de um suposto médico do hospital, informando que foi identificada uma bactéria no exame de sangue, fazendo-se necessário um exame complementar. Como o plano de saúde estaria no período de carência, o médico a aconselhou a fazer o exame particular, com o fim de evitar complicações. Ainda informou que o laboratório faria o exame no leito, evitando o deslocamento, mas seria necessário o pagamento de R$ 2.600,00. Assim, diante da urgência exposta pelo médico, realizou a transferência do valor solicitado. Ao tentar receber o exame, no posto de enfermagem, tomou conhecimento de que se tratava de um golpe.

Confira a nota emitida pela Unimed sobre o caso:

A Unimed João Pessoa esclarece, inicialmente, que não fornece dados pessoais dos seus pacientes e que, tão logo começaram a surgir as primeiras tentativas de golpe nos familiares dos pacientes internados, reforçou as medidas de segurança para evitar vítimas em suas unidades próprias.

Os procedimentos de segurança são reavaliados permanentemente para que, caso seja necessário, novas medidas sejam adotadas de modo a resguardar a segurança do paciente, assim como as informações que constam no seu prontuário.

Atualmente, já no momento da internação, o paciente ou seu representante assina um termo de ciência contendo o aviso sobre o golpe e que a Unimed João Pessoa não solicita informações, dados pessoais ou pagamentos por telefone ou por aplicativo de mensagem. Além disso, há cartazes em todos os apartamentos e banners nas recepções, alertando para esse tipo de golpe. Por fim, ao chegar ao apartamento, um colaborador da equipe de hotelaria reforça as informações verbalmente ao paciente e a seus familiares.

Sobre o caso citado na reportagem, a Unimed João Pessoa afirma que respeita as decisões judiciais, apesar de não concordar com o seu teor, já que entende ter sido culpa exclusiva do consumidor ou de terceiro, razão pela qual irá recorrer da decisão.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.