Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Uber bane motorista suspeito de intolerância religiosa em João Pessoa

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

A Uber baniu dos seus quadros o motorista denunciado por racismo religioso contra uma mãe de santo. Em nota encaminhada ao ParlamentoPB, a Uber afirmou que não tolera qualquer forma de discriminação e informou que a conta do motorista foi banida da plataforma.

“Em casos dessa natureza, a empresa encoraja a denúncia tanto pelo próprio aplicativo quanto às autoridades competentes e se coloca à disposição para colaborar com as investigações, na forma da lei.

A Uber busca oferecer opções de mobilidade eficientes e acessíveis a todos. A empresa reafirma o seu compromisso de promover o respeito, igualdade e inclusão para todas as pessoas que utilizam o app”, afirmou a plataforma na nota.

Na semana passada o Ministério Público da Paraíba notificou a empresa Uber do Brasil Tecnologia, com sede em São Paulo, para que preste esclarecimentos relacionados à prática de racismo religioso por motoristas que usam o aplicativo da empresa para prestar o serviço de transporte em João Pessoa. A medida é decorrente da Notícia de Fato 002.2024.016457, instaurada, nesta terça-feira (26/03), pela promotora de Justiça, Fabiana Maria Lobo da Silva, que atua na área de defesa da cidadania na capital. A representante do MPPB vai apurar os fatos quanto ao aspecto cível coletivo.

O procedimento foi instaurado após uma líder da religião de matriz africana candomblé denunciar, por meio de uma matéria jornalística juntada aos autos, a prática racista. A reportagem denuncia que uma integrante de um terreiro localizado na capital pediu um transporte, no dia 25 de março, e o motorista acionado enviou uma mensagem à usuária do serviço com conteúdo racista religioso e cancelou a corrida. Na matéria, a denunciante, que seria mãe de santo, diz que a prática é recorrente e que não poderia mais se calar diante do preconceito sofrido pelas pessoas integrantes da religião.

Apuração em duas esferas

Fabiana Lobo explicou que essa prática racista religiosa vai ser apurada em duas esferas, na criminal, já que a religiosa prestou boletim de ocorrência na delegacia, e também na esfera cível, por meio do procedimento aberto pela Promotoria. “Sobre o ponto de vista cível, o que se apura é a responsabilidade da empresa. Esse motorista pertence ao seu quadro, seja qual for o vínculo, seja parceria, seja contrato. E a empresa precisa prestar esclarecimentos não só sobre esse fato, mas também com relação à informação de que não foi a primeira vez que isso ocorreu. Outros religiosos já se manifestaram sobre o fato de que, quando solicitam corridas, e se sabe que essa corrida é de origem de um terreiro, há o cancelamento. Nesse caso específico, além de cancelar, o motorista escreveu a mensagem racista”, afirmou a promotora.

A representante do MPPB ratificou que, além de contribuir para a apuração desse caso específico, o MPPB quer saber o que a empresa tem feito para coibir essa prática. “Queremos que a empresa preste esclarecimentos do que vem fazendo para evitar esse tipo de crime, que é um crime também, um crime de racismo, e as medidas que serão adotadas com relação aos motoristas que cometerem esse tipo de prática. Durante a investigação, caso se apure, a empresa pode, inclusive, responder por um dano moral coletivo, que é aquele dano de ofensa à honra, aos valores intrínsecos de uma coletividade, no caso da coletividade de pessoas de religião de matriz africana”, explicou Fabiana Lobo.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Taioba Discos inaugura primeira loja física em JP com Soft Opening exclusivo

Banco do Nordeste nomeia novo superintendente na Paraíba

Prefeito paraibano fala de “infelicidade” de ter filhos autistas e servidora acrescenta: “São doidos”

Anteriores

transi

Trânsito entre os bairros José Américo e Água Fria será interditado nesta terça

1_img_6707-38939016

Advogada garante que assassino de Maria Vitória aliciou sete outras meninas; ouça

WhatsApp Image 2024-07-22 at 16.38.28

Francisco Fidelis registra candidatura à vaga de desembargador da Paraíba pelo Quinto Constitucional do TJ-PB

7c5c6b32-034e-4b1c-87c9-53518e96f3a4

Pagamento de julho dos servidores estaduais será feito nos dias 25 e 26

Pao-e-Leite-Divulgacao

Beneficiários do Pão e Leite têm até o fim de julho para atualizar cadastro

Promotoria-Sousa

MPPB expede recomendação sobre a vedação dos conselhos tutelares nas eleições

Gervásio com a prefeita Luciene e Raíssa, Brejo dos Santos

Gervásio participa de convenção que homologou chapa Luciene e Raissa em Brejo dos Santos

Bruno e Romero

Pedro diz que é mais fácil Romero manter aliança com Bruno e indicar nome do vice

Concurso, freepik 1

BNDES divulga edital de concurso com 150 vagas e salário de R$ 21 mil

Creci-PB - Fórum Sta Luzia

Em Bananeiras: Creci-PB participa de debate sobre instalação de Fórum de desenvolvimento urbano