TRT convoca sessão para julgar caso da terceirização da Saúde

O Pleno do Tribunal Regional do Trabalho se reunirá em sessão extraordinária na próxima quarta-feira (11), às 8h30, para julgar exclusivamente o processo promovido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) contra o governo do Estado e a Organização Social Cruz Vermelha do Rio Grande do Sul, que administra as atividades de saúde no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa.  

O pleno do TRT será composto por Paulo Maia Filho (presidente), Carlos Coelho (vice-presidente) além dos desembargadores Vicente Vanderlei, Ana Madruga, Francisco de Assis Carvelho, Edvaldo de Andrade, Ubiratan Delgado e Eduardo Sérgio de Almeida. O Ministério Público do Trabalho (MPT-PB) será representado por seu procurador-chefe, Eduardo Varandas.

Segundo Varandas, existem inúmeras irregularidades na gestão da Cruz Vermelha e é baseado nisso que tenta impedir a prorrogação do contrato.

Para o desembargador que cassou a liminar, Carlos Coelho, a Justiça do Trabalho precisa ouvir o Estado antes de conceder a liminar e, por isso, liberou a prorrogação do contrato por mais seis meses.

O Governo do Estado renovou o contrato com a Cruz Vermelha na semana passada. A renovação aconteceu depois que o vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (TRT-PB), Carlos Coelho de Miranda, cassou a liminar concedida pela juíza da 4ª Vara do Trabalho da capital, Mirtes Takeko Shimanoe, que impedia a prorrogação do vínculo do Estado com a Cruz Vermelha.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.