Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Trauma de Campina registra quase 400 ataques de animais peçonhentos em 2023

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

Dados do Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciatox) do Hospital de Trauma de Campina Grande, com base no Datatox, apontam que do mês de janeiro, até o último dia 15 de março, 395 pacientes vítimas de acidentes com animais peçonhentos foram atendidos na unidade de saúde. Desse total, 23 foram picados por cobras, 47 por abelhas e 325 por escorpiões.

O Trauma-CG é referência na região para os atendimentos de escorpionismo (acidente com escorpiões), ofidismo (acidentes com serpentes/cobras peçonhentas) e acidentes apílicos (com abelhas).

A médica Flávia Martins reforça a importância da busca por atendimento médico, logo após o ocorrido, para minimizar os danos ocasionados pelo envenenamento.

“Uma prática comum entre as vítimas de escorpiões é colocar álcool ou alho no local da picada. Porém tal atitude não é recomendada e muitas vezes chega a queimar a pele com alho, piorando o quadro clínico. A recomendação é apenas manter o local limpo e colocar compressa morna, se possível, e seguir para o serviço de saúde disponível aqui no Hospital De Trauma”, esclarece.

Ainda segundo a médica, o cuidado maior deve ser com as crianças, principalmente com as pequenas, que não sabem relatar o ocorrido, como por exemplo a picada de escorpião, que raramente deixa marca. A área acometida fica, normalmente, dormente e, na maioria das vezes, o paciente não identifica o local exato da picada, referindo apenas a região.

De acordo com a médica, em relação ao ofidismo, a identificação do tipo de cobra é importante para que seja aplicado o soro adequado. Quando não for possível levar o animal, uma fotografia também pode ajudar a definir a espécie. Em caso de não identificação, o tratamento é definido pelo quadro clínico e alterações nos exames laboratoriais, que podem estar presentes de acordo com a espécie da serpente.

Já as orientações da coordenadora do Ciatox, Sayonara Lia Fook, em caso de acidentes por abelhas, o indicado é lavar a região afetada com água fria, remover os ferrões da pele sem pressioná-los, usando agulha ou lâmina, aplicar compressa de água fria para aliviar a dor e procurar atendimento médico de imediato.

“É importante que as pessoas busquem o atendimento especializado oferecido aqui no Trauma para serem adotadas as condutas corretas de tratamento em cada caso específico. Lembrando que a adoção de soluções caseiras pode agravar o quadro de saúde da vítima”, enfatiza Sayonara.

Ciatox – O Centro Informações e Assistência Toxicológica, vinculado ao Departamento de Farmácia da Universidade Estadual da Paraíba, funciona desde 2004 no do Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, como unidade de atendimento assistencial e de vigilância. O Centro faz a notificação dos casos junto ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). O Ciatox é integrante da rede nacional de centros do Brasil.

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

‘Festa da Adoção’ tenta aproximar crianças e adolescentes de pessoas aptas a adotar

Presidente do PT é acusado de cometer etarismo contra Luiz Couto

Anteriores

edsonfachin

Ministro do STF decide arquivar ação contra reeleição antecipada de Adriano Galdino

Sodiê

Governo da Paraíba dispensa emissão de documentos fiscais em mercadorias doadas ao RS

lovina

MPF intervém e Prefeitura de Cabedelo demole obra ilegal de contenção marítima do Lovina

chuvasrs (1)

Com chuva forte, água sobe pelos bueiros e volta a inundar ruas em Porto Alegre

1af1367b-89e5-4e87-ae7e-586266147ed4

Paraíba participa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite a partir de segunda

tourinho1 (1)

APCA homenageia imprensa da Paraíba com a Comenda Acadêmico Mário Tourinho

Poste, batida

Paraíba registra 242 colisões em postes este ano; João Pessoa e Campina lideram

Lixão a céu aberto

Prefeitura de Catolé do Rocha deve pagar indenização por lixão a céu aberto

Luciano Cartaxo 3

Luciano Cartaxo tem alta e deixa hospital em João Pessoa

PF operação

Operação da PF mira empresas clandestinas de segurança privada