Transparência Brasil quer acabar com lei que prevê leitura da Bíblia na AL

A organização não governamental Transparência Brasil já se manifestou contra o projeto aprovado pela Assembleia Legislativa da Paraíba e de autoria do deputado estadual Nivaldo Manoel (PPS) que prevê cinco minutos de reflexão da Bíblia antes de cada sessão do legislativo. O coordenador de projetos da ONG, Fabiano Angélico, disse hoje que a proposta "é um tremendo absurdo":

"Tomamos conhecimento desse fato lamentável através da imprensa e acreditamos que é preciso reverter essa lei porque está previsto na Constituição Federal que o Estado é laico, isso significa que assuntos religiosos não devem se misturar à rotina dos poderes. É um tremendo absurdo que isso aconteça. Isso demonstra a confusão que existe no Brasil entre o que é público e o que é privado. É por isso que o Senado vive em meio a denúncias de nepotismo. É a crença de que assuntos de família ou de religião podem ser transportados para os ambientes públicos", declarou ele à Rádio 101 FM.

Já o deputado Nivaldo Manoel lamentou a ação da Transparência Brasil contra seu projeto e declarou que a palavra de Deus é bem vinda em qualquer lugar: "Sei que vou ser criticado, mas quem é contra é porque não tem o que fazer. Quem é contra Deus não tem a felicidade de conversar com ele. Essas pessoas não podem ser abençoadas", disse.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.