Trabalhadores dos Correios entram em greve por tempo indeterminado

Os trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) na Paraíba estão em greve desde a zero hora desta segunda-feira (12). A decisão dos paraibanos de aderirem greve, que acontece em todo país, foi tomada durante assembleia dos trabalhadores em Correios e Telégrafos na Paraíba realizada no dia 2 de março.

A paralisação é motivada por mudanças no plano de saúde dos funcionários que envolvem retirada de cobertura e cobrança de mensalidades, além de outros pontos, como fechamento de agências; demissão de trabalhadores; privatização dos Correios e falta de segurança nas agências, entre outros, conforme nota divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos na Paraíba, Empreiteiras e Similares (SINTECT-PB).

A greve é por tempo indeterminado diz o SINTECT-PB.

Confira a nota do SINTECT – PB

NOTA À IMPRENSA
Greve Nacional dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos na Paraíba, a partir do dia 12 de março/18

Os trabalhadores em Correios e Telégrafos na Paraíba, realizaram Assembleia dia 2 de março de 2018, a partir das 19:00 horas, na Sede da Entidade em João Pessoa, para avaliar a proposta apresentada pelo Ministro do TST em audiência de conciliação, realizada dia 22/02/18 em Brasília sobre o plano de saúde, sendo rejeitada por unanimidade pela categoria presente em Assembleia. E diante da situação, os trabalhadores em Correios em todo país decidiram deflagrar greve a partir da (00:00h) do dia 12/03/2018, por tempo indeterminado contra os seguintes pontos;

Não ao pagamento de mensalidade no Plano de Saúde;
Não ao fechamento de agências;
Não à demissão de 24 mil trabalhadores;
Não à suspensão das férias;
Não à retirada do Adicional de Mercado;
Não à extinção do cargo de OTT’s
Não à falta de segurança nas agências;
Pelo retorno dos vigilantes nas Agencias.
Não a privatização dos Correios.
Por um Correios público, estatal e de qualidade.
Contratação imediata novos Carteiros e Atendentes aprovados no concurso de
2011 na Paraíba.

Nenhum direito a menos!

A DIRETORIA

Comentários