Sérgio da SAC cobra definição da oposição e Hervázio pede calma

Em um discurso truncado, marcado por muitas reclamações em relação ao comportamento dos colegas de oposição, o vereador Sérgio da SAC (PRP), cobrou que os adversários assumam seu papel, digam quantos e quais são e passem a fazer um contraponto mais forte ao prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PSB). Um dos fatos ressaltados para basear sua indignação foi a visita feita ontem pelo secretário de Articulação Política da capital, Dunga Júnior (PTB), à Casa de Napoleão Laureano.

– Ontem houve uma visita de um secretário [Dunga Júnior, da Articulação Política] nesta Casa. Ele sentou à mesa onde eu nunca senti e a maioria dos vereadores só faltou beijar a boca dele. Dinho [presidente do PRP municipal] ficou mais uma vez a ver navios. Disseram que os amigos vereadores estavam solidários a ele, mas ele ficou vendo navios. Eu não me curvo a nenhum destes que está aí. Conheço a história de Ricardo Coutinho, de José Maranhão e Cícero Lucena.

Ao mesmo tempo, Sérgio declarou que os oposicionistas não poderiam "servir a dois senhores" e acrescentou estranhar os elogios feitos a Luciano Agra por alguns membros da oposição, dentre os quais o líder, Hervázio Bezerra.

Instigado pelo colega, Hervázio respondeu:

– Vossa excelência deveria dizer quem está servindo a dois senhores para poupar seus colegas do constrangimento. Se o senhor quiser me cobrar posição, eu poderei cobrar de vossa excelência também. Se depender de mim, o líder da oposição de agora em diante será Sérgio da SAC. Não é porque eu tenho cinco mandatos que não poderei aprender com o senhor. A gente aprende até com uma criança, mas acho que esse seu caminho não é bom. Vai se resolver como? No braço? Não, tem que ser no diálogo. Se vossa excelência quiser ser o líder, não tem problema. Se aglutina mais que eu, ótimo.

– Vossa excelência, eu não estou pedindo sua vaga. Eu tive um almoço com o senhor e pedi para que continuasse no cargo. Eu não sou besta, não. Por que eu convoquei o senhor para começar a discutir? Para aprender com vossa excelência. A gente tem que vestir uma camisa. Somente uma. Não é uma, nem duas e nem três. Eu sei qual é o problema do seu partido.

O atual líder do prefeito, Tavinho Santos, interviu e pediu que a discussão fosse encerrada porque não estaria contribuindo em nada para o andamento dos trabalhos:

– Nós estamos constrangidos com essa discussão.

Sérgio da SAC retrucou:

– Eu não vou nomear ninguém. Eu considero vossa excelência ainda como meu líder. Estou pedindo uma reunião. A gente precisa rezar numa cartilha só. Esse é meu ponto de vista. Se eu não puder falar, e for somente para balançar a cabeça, eu peço para sair.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.