Sede do PSB é arrombada de novo e partido suspeita de crime político

A sede do Partido Socialista Brasileiro (PSB), no Parque Solon de Lucena, voltou a ser arrombada na madrugada de hoje. Os bandidos teriam entrado no local por volta da 1h e agiram do mesmo modo que na última segunda-feira, dia 8. Eles teriam destruído os sensores de segurança, acreditando que fariam o alarme parar de tocar. A empresa responsável pela vigilância eletrônica do prédio entrou em contato com um dos funcionários do partido, mas quando os vigilantes e o servidor chegaram, os marginais já haviam fugido.

"Foi levada apenas uma CPU. Da primeira vez, achamos que era um crime comum, cometido por algum marginal ou viciado em drogas que frequenta a área da Lagoa. Mas, agora, já imaginamos que possa ter uma motivação política. Havia diversos outros objetos no local, como fax, impressora, nobreak, ar-condicionado, mas nada disso foi levado, apenas a CPU onde estavam muitas informações do PSB", disse o secretário de Comunicação do partido, Ednaldo Alves.

O advogado do PSB, Ricardo Sérvulo, compareceu à delegacia de polícia para prestar queixa do furto e solicitou que uma equipe de peritos comparecesse ao local para colher indícios que pudessem levar à identificação dos bandidos. A perícia teria encontrado impressões digitais que serão analisadas.

Ednaldo contou ao Parlamentopb que o PSB não perdeu os dados que estavam na CPU porque é feito um backup sistemático das informações, mas ele acrescentou que as senhas bancárias e dos emails do partido foram trocadas para evitar que outros prejuízos ocorram a partir do uso indevido dos dados contidos na CPU.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.