Santiago cria dissidência e diz que Veneziano não é consenso

O ex-senador Wilson Santiago deu início a mais uma polêmica interna no PMDB da Paraíba. Hoje, ele afirmou não existir consenso em torno do nome do ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo para disputar o Governo da Paraíba em 2014. Até agora, nenhum outro peemedebista havia contestado a autoproclamada pré-candidatura do "cabeludo". Para apimentar ainda mais a discussão, Santiago declarou que outros partidos, a exemplo do PT de Luciano Cartaxo e o PP de Aguinaldo Ribeiro têm direito a indicar nomes para a disputa pelo Palácio da Redenção:
 
– Não disse que deixaria o PMDB. Alguns integrantes do partido é que estão me excluindo do processo político e querendo isso. Me excluiram da chapa de 2014. Eu defendo uma chapa que saia unida da base e reúna os partidos que estiveram juntos em 2010. Esse é meu entendimento. Não concordo com a imposição e nem com a exclusão. Uns só veem Veneziano, mas eu vejo outros nomes. O PT quer ter candidatura e o PP também está seguindo para este rumo. Será que esses partidos não devem ser ouvidos? Eu defendo a candidatura do PMDB, mas também defendo o direito dos partidos de oposição exporem seus nomes. Isso não é desconsiderar ninguém. Ao contrário, é fortalecer a oposição. Ninguém ganha eleição sem unir os partidos! Fui citado várias vezes como postulante ao Senado. Isso foi objeto de reunião nacional do PMDB. Meu nome foi lembrado da mesma forma que Veneziano foi para o Governo. Mas os cabeças do meu partido me excluiram. Não quero ser candidato ao Senado de todo jeito, mas quero ser ouvido. Eu tenho a maior base do partido e minha exclusão está clara! O que tem sido declarado é um golpe.
 
Santiago também emitiu opinião sobre a composição do diretório municipal do PMDB de João Pessoa e deixou claro que defende Gervásio Filho para comandar a instância municipal:
 
– O diretório municipal de João Pessoa está precisando ser renovado. O atual presidente, José Maranhão, convocou uma reunião com alguns dos interessados no sábado, mas não houve consenso sobre o nome para a presidência do diretório da capital. Os nomes postos são de Gervásio Filho, João Almeida e Manoel Júnior. Defendo Gervásio porque entendo que ele renunciou a um cargo por causa de alguns compromissos futuros. Manoel Júnior deve ter conhecimento desse compromisso e deveria ter posto na mesa naquele momento a pretensão dele e isso ele não fez.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.