Romero acata pedidos de exoneração de Iolanda e Paulo, afastados pela Operação Famintos

O prefeito Romero Rodrigues recebeu, no início da tarde desta sexta-feira, 26, cartas dos secretários Paulo Roberto Diniz (Administração) e Iolanda Barbosa (Educação), colocando seus cargos à disposição. Romero acatou os pedidos, por compreender se tratar do caminho mais recomendável para que os ex-auxiliares se dediquem integralmente às suas defesas, ao mesmo tempo em que permite à gestão manter o ritmo de normalidade administrativa.

No caso específico da Educação, o prefeito de Campina Grande disse que, desde esta quinta-feira, 25, já tomou providências para a gestão da Secretaria ficar sob a responsabilidade interina do secretário executivo Gildo Silveira, a quem delegou a missão de manter o ritmo administrativo da pasta, com prioridade no apoio às medidas emergenciais para a manutenção no fornecimento da merenda escolar nas unidades de ensino e na finalização de medidas para fechamento da folha de pessoal do setor.

Em relação à Secretaria de Administração, o prefeito disse que a indicação do nome do titular que substituirá Paulo Diniz não vai demorar. Ele avalia alternativas que se encaixem no perfil de excelência técnica do ex-secretário e acredita que essa solução terá rápido desfecho.

Reconhecimento – Lamentando as circunstâncias adversas que atingiram Iolanda Barbosa e Paulo Diniz, Romero Rodrigues fez questão de reafirmar sua convicção na inocência dos ex-secretários e agradecer, publicamente, pelos serviços prestados por mais de sete anos à cidade em sua gestão, com excelência no desempenho, dedicação extrema e resultados objetivos inquestionáveis.

Segundo o prefeito, pela trajetória de vida, qualidade técnica e virtudes éticas e profissionais dos dois ex-auxiliares – tendo a presunção de inocência como um princípio basilar perfeitamente aplicável, sem restrições, para Iolanda Barbosa e Paulo Diniz – os fatos recentes jamais teriam o poder de apagar ou macular a biografia de ambos. “Meu respeito e admiração por eles se mantém incólumes”, resumiu Romero.

Comentários