Ricardo acusa uso da PM para retirar leitos do Hospital de Taperoá; Saúde emite nota

Em uma “live” realizada na noite deste sábado, 4, o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), acusou o governo do Estado de utilizar cerca de 40 policiais militares para a retirada de 10 leitos do Hospital de Taperoá. “Ví um vídeo do padre Fabrício Timóteo em que ele indignado contava sobre uma operação de guerra usando um batalhão inteiro para poder levar 10 leitos do Hospital Geral. Foi uma unidade que nós concluímos porque tinha antes disso meias paredes. O governo agiu de forma truculenta e levou pânico a uma região inteira”.

A propósito das reclamações de Ricardo, a Secretaria de Estado da Saúde emitiu uma nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) tem realizado todos os esforços necessários e contado com a solidariedade dos paraibanos e paraibanas para garantir o atendimento às pessoas diagnosticadas com o coronavírus. Para se antecipar a uma provável demanda de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermarias para os casos da Covid-19, a gestão hospitalar do Estado decidiu pela realocação temporária de dez leitos e três ventiladores pulmonares do Hospital de Taperoá, que não estavam sendo utilizados devido à suspensão das cirurgias eletivas, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

A SES assegura que o atendimento à população do município na referida unidade hospitalar não sofrerá nenhum tipo de prejuízo, pois a equipe de profissionais mantém o compromisso de prestar um atendimento qualificado a todos os cidadãos. Além disso, todos os equipamentos emprestados irão retornar ao Hospital de Taperoá tão logo a epidemia de coronavírus seja superada no Brasil e na Paraíba, como atesta documento assinado pelo secretário de Saúde, Geraldo Medeiros.

O Governo da Paraíba tem trabalhado, de forma incessante, para ampliar o número de leitos para casos do novo coronavírus e adquirir tanto respiradores, quanto Equipamentos de Proteção Individual (EPI) aos profissionais de Saúde, que têm atuado na linha de frente do combate à doença. Para tanto, o Hospital Solidário já está sendo montado no estacionamento do Hospital Metropolitano, em Santa Rita, e novos leitos estão sendo equipados para suprir a possível demanda, tanto na Capital paraibana, quanto em Campina Grande, onde serão realizados os atendimentos de alta complexidade.

A SES também informa que o Plano de Contingência Estadual da Paraíba, que tem como objetivo evitar casos graves e óbitos, já está em andamento, bem como a Central Estadual de Regulação de Leitos para Covid-19, para garantir o fluxo de transferência de pacientes para os Hospitais de Referência, que estão distribuídos por macrorregião de saúde, sendo o Hospital Clementino Fraga, Santa Izabel e Hospital Municipal do Valentina na primeira Macro, em João Pessoa, que concentrarão essas internações. Na segunda Macrorregião, o Hospital Pedro I e o Hospital de Emergência e Trauma Dom Luís Gonzaga Fernandes, em Campina Grande; e no Sertão e Alto Sertão, os hospitais Regionais de Cajazeiras, Pombal, Regional de Patos e o Infantil Noaldo Leite, também em Patos, garantindo, dessa forma, atendimento e, caso necessário, o deslocamento seguro dos pacientes.

A Secretaria de Estado da Saúde ainda disponibiliza quatro números para plantão de dúvidas da Vigilância em Saúde e Hospital Clementino Fraga, cujo atendimento é realizado por especialista da área (99146-9790; 99146-9250; 99147-0810 e 98823-6186).

A SES pede a compreensão e a solidariedade de todos na busca pela disponibilização da melhor assistência especializada aos paraibanos de todas as regiões do Estado.

2 comentários

  • rfm
    22:51

    O CANALHA , continua ATIVO .

  • José
    22:51

    Qual a moral deste chefe de Orcrim falar sobre saúde pública??

Comentários