Rendas do Treze serão novamente bloqueadas

O presidente do Treze, Marcelo Nóbrega, esteve na manhã desta sexta-feira (31), na sede da Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba para tentar um acordo do débito do clube com a entidade.

Segundo o relatório da companhia, as dívidas do Galo estão estipuladas em valores acima de R$ 1 milhão (incluindo os juros e multas). Os débitos são referentes ao período de fevereiro de 1997 até julho deste ano e além do Estádio Presidente Vargas foi calculado o consumo do Antigo Greci.

O Treze sugeriu a quitação dos débitos, utilizando a arrecadação oriunda de um projeto nos moldes da TIMEMANIA, mas em princípio o presidente da CAGEPA, Edísio Souto afirmou que a cobrança dessa forma levaria muito tempo para ser concretizada e não acatou a sugestão.

Edísio disse ainda que as rendas do clube serão novamente bloqueadas. O próximo jogo oficial do Galo, em casa, acontece domingo (09), diante do Flamengo-PI, pela última rodada da fase classificatória da Série D do Campeonato Brasileiro.

O dirigente da Cagepa propôs ainda recolhimento espontâneo no percentual de 5% sobre o valor da renda líquida, devidamente comprovada, do Treze, em todos os eventos esportivos, com a participação do time, seja oficial ou amistoso. Essa proposta será levada ao conhecimento do Conselho Deliberativo para apreciação.

Outro problema para o Alvinegro é que, segundo o presidente da companhia, haverá o corte do fornecimento da água do Estádio Presidente Vargas.

A diretoria do Treze cogita pedir afastamento por dois anos de competições oficiais, caso não haja um acordo viável entre as partes, uma vez que o Galo reconhece a dívida, porém não dispõe de recursos para quitar o débito da forma como está sendo proposta.

“A Cagepa nos apresentou uma planilha com os valores dos débitos e quis saber quanto poderíamos dar como entrada, pela negociação, mas como é do conhecimento de todos, estamos disputando uma competição deficitária e temos recursos escassos para custear as despesas com o elenco e a parte funcional do clube. Sendo assim, neste momento não dispomos de nenhum valor para dar como entrada, e dessa forma, o acordo não pôde ser concluído”, explicou o presidente Marcelo Nóbrega.

Por determinação da justiça, a renda do jogo entre Treze x Ferroviário, realizado no dia 12 deste mês, foi bloqueada. Após uma reunião entre os dirigentes das entidades, os bloqueios foram suspensos até esta sexta-feira e voltarão a ser cobrados nas próximas partidas do Galo.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.