Raíssa Lacerda pede desculpas à Liga Canábica: “Achei que a intenção era fazer apologia às drogas”

A Liga Paraibana em Defesa da Cannabis Medicinal (Liga Canábica) se reuniu na manhã desta terça-feira (30) com as vereadoras Eliza Virgínia e Raíssa Lacerda na Câmara Municipal de João Pessoa.

Eliza e Raíssa foram alvo de uma nota de repúdio da Liga por conta de declarações e questionamentos envolvendo a aprovação, na Assembleia Legislativa da Paraíba, do projeto de lei de autoria da deputada Estela Bezerra (PSB), que institui o dia 7 de maio como Dia Estadual de Visibilidade da Cannabis Terapêutica. Antes mesmo da aprovação do projeto na ALPB, a Câmara de João Pessoa já havia aprovado, por unanimidade, um projeto de lei, de idêntico teor, de autoria do vereador Tibério Limeira.

A vereadora Eliza Virgínia, inclusive, chegou a declarar que o pessoal das esquerdas e universidades públicas gostam de maconha.

No encontro de hoje, Raíssa pediu desculpas. Disse que pensava que a intenção do projeto seria fazer apologia às drogas, mas entendeu que o objetivo é terapêutico: “É nobre reconhecer o erro e pedir desculpas, então, eu peço desculpas porque não tinha amplo conhecimento do projeto”, declarou.

Participaram ainda da reunião com os integrantes da Liga os vereadores Humberto Pontes, Tibério Limeira e Carlão da Consolação.

Durante a reunião, Julio Américo, da Liga, convidou as vereadoras para palestra de Sidarta Ribeiro, que estará em João Pessoa onde vai proferir palestra.

Sidarta Tollendal Gomes Ribeiro é um neurocientista, professor titular e diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Exerceu a função de secretário da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento no triênio 2009-2011.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.