Quatro cursos da UFPB conquistam nota máxima no Enade

 

Os cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Fisioterapia e Medicina da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), oferecidos no campus I, em João Pessoa, conquistam nota máxima (conceito 5) no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2019.

Os cursos de Educação Física, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia de Produção, Engenharia de Produção Mecânica, Engenharia Elétrica, Farmácia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia e Zootecnia obtiveram conceito 4.

Já os de Agronomia, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Computação, Engenharia Mecânica, Engenharia Química e Medicina Veterinária tiveram conceito 3. O conceito de cada curso é apresentado em cinco categorias (1 a 5), sendo que 1 é o resultado mais baixo e 5 é o melhor resultado possível, na área.

Em entrevista concedida à TV UFPB e disponibilizada à Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da federal paraibana, a pró-reitora de graduação da UFPB, professora Ariane Sá, parabenizou todos os professores e estudantes pelo resultado.

“Este é um momento de muitas dificuldades, mas nós nos saímos muito bem. É muito importante para a instituição receber esse resultado, que consolida a ideia de que  a universidade pública é aquela que oferece o melhor sistema e a melhor possibilidade de formação para a cidadania e para o mercado de trabalho”, afirma a gestora.

De acordo com Ariane Sá, de um modo geral, as universidades que se saíram melhor no exame foram as públicas, sejam elas federais ou estaduais. “Dos cursos que obtiveram conceito máximo, 67% são ofertados por universidades públicas, de onde o Governo Federal pretende, brevemente, tirar cerca de R$ 994 milhões”, critica a pró-reitora.

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional e o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial.

Em 2019, foram avaliados os cursos de bacharelado nas áreas de conhecimento de Ciências Agrárias, Ciências da Saúde e áreas afins e de Engenharias e Arquitetura e Urbanismo, além de cursos superiores de tecnologia nas áreas de Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança.

A próxima avaliação será de cursos de bacharelado nas áreas de conhecimento de Ciências Biológicas; Ciências Exatas e da Terra; Linguística, Letras e Artes e áreas afins; e de licenciatura nas áreas de conhecimento de Ciências da Saúde; Ciências Humanas; Ciências Biológicas; Ciências Exatas e da Terra; Linguística, Letras e Artes.

Também serão avaliados na próxima edição do exame os cursos de bacharelado nas áreas de conhecimento de Ciências Humanas e Ciências da Saúde, com cursos avaliados no âmbito das licenciaturas, e cursos superiores de tecnologia nas áreas de Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura e Produção Industrial.

O ciclo avaliativo do Enade determina as áreas de avaliação e os cursos a elas vinculados. Ao todo, são três ciclos avaliativos. As áreas de conhecimento para os cursos de bacharelado e licenciatura derivam da tabela de áreas do conhecimento divulgada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Já os eixos tecnológicos são baseados no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia (CNCST), do Ministério da Educação.

Aplicado pelo O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) desde 2004, o Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), composto também pela avaliação de cursos de graduação e pela avaliação institucional.

Juntos eles formam o tripé avaliativo que permite conhecer a qualidade dos cursos e instituições de educação superior brasileiras. Os resultados do Enade, aliados às respostas do questionário do estudante, são insumos para o cálculo dos indicadores de qualidade da educação superior.

A inscrição no Enade é obrigatória para estudantes ingressantes e concluintes habilitados de cursos de bacharelado e superiores de tecnologia vinculados às áreas de avaliação da edição. A situação de regularidade do estudante é registrada no histórico escolar.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.