Publicitário passou por três transplantes e conheceu esposa em grupo de apoio

O publicitário Alexandre Barroso, de 59 anos, já fez três transplantes, dois de fígado e um de rim. O título do livro dele, “A última vez que morri”, demonstra o sofrimento de quem passou por anos de internamento, câncer, barriga d’água, Hepatite C, 21 intercorrências de coma e 11 cirurgias. Hoje, após os transplantes, vive bem e pratica rapel, trilha com moto e bicicleta, corre, faz caminhada e natação. “Os transplantes me trouxeram até um amor novo. Conheci minha atual esposa num grupo de apoio a pessoas transplantadas”, revelou ele.

Foi aberta a 18ª Campanha Estadual para Doação de Órgãos e Tecidos, nesse sábado (22). O evento com discurso de transplantados como Alexandre Barroso aconteceu no auditório da PBTur, na praia de Tambaú, em João Pessoa.

Na cerimônia de abertura da campanha, foram ditas frases como “Sobrevivi e estou aqui para falar de amor”; “Precisamos conversar mais com os nossos sobre a nossa vontade de ser doador”; “Falar de doação é falar de vida”.

A musicista Íris Vasconcelos fez transplante de coração há 13 anos, em João Pessoa. Tinha o coração crescido e passou nove meses na fila de espera. Segundo ela, o trabalho da Central é fundamental no momento mais crucial da vida de qualquer pessoa que necessite de um transplante. “O trabalho desta equipe é muito importante, desde o momento de explicar o processo de transplante; agilizar para encontrar doador e fazer todo o acompanhamento. Isso tudo é feito com muito afeto, carinho e assistência profissional”, disse.

O publicitário Alexandre faz parte do projeto “Jornada Asas do Bem”, no qual quatro companhias aéreas proporcionam a participação dele, fazendo palestras em vários estados pelo Setembro Verde, mês que simboliza a luta pela doação em todo país. “Acho muito importante compartilhar minha experiência, ao mesmo tempo em que falo da importância do ato de fazer doação. E, diante do que vivi e da forma como me comportava, sempre gosto de deixar um questionamento em relação à qualidade de vida: o que você faz por você? O que come é algo que lhe faz bem ou faz mal e você come mesmo assim? Faz atividade física?”, pontuou.

Com o tema “Amar é… fazer a vida continuar! Doe órgãos”, a campanha acontece junto com a edição nacional do Setembro Verde, na qual o laço na cor verde é o símbolo da doação de órgãos e tecidos. O Dia Nacional é 27 de setembro, por isso, todo ano é realizada a Campanha Estadual junto com a Nacional, do Ministério da Saúde.

“É muito importante que as pessoas conversem com os seus familiares sobre o desejo de ser doador. Pois, no momento da morte, este é um tema muito delicado para ser abordado”, disse a gestora da Central de Transplante, Gyanna Lys Montenegro.

Programação

Terça-feira (25)

Durante a manhã e tarde – panfletagem no Centro Administrativo Estadual e na sede da SES.

Quarta-feira (26)

8h30 – Capacitação para os integrantes das Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante, no Hospital de Trauma de João Pessoa, para médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e estudantes da área de saúde.

Quinta-feira (27)

15h30 – Culto ecumênico no auditório do Centro Turístico de Tambaú, com a presença de parentes de doadores e receptores de órgãos e tecidos, além de profissionais envolvidos no processo de doação e transplante.

Sexta-feira (28)

Capacitação para as comissões, no auditório 3 do CCBS, na UFCG, para médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e estudantes da área de saúde.

Dados

Na Paraíba, atualmente, 499 pessoas aguardam por um transplante, sendo 329 de córnea; 164 ativos para rim e seis de fígado.

Até o dia 15 de setembro, foram realizados no estado 135 transplantes de córnea e 21 de rim. No ano passado, foram 117 transplantes de córnea e 26 de rim.

Central de Transplante

A Central de Transplante da Paraíba (CET-PB) funciona há um ano no 1º andar do prédio anexo ao Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na capital. É um órgão ligado à Secretaria de Estado da Saúde.

Para entrar em contato com a Central de Transplante e solicitar palestras, esclarecer dúvidas ou informar os óbitos:

1- Central de Transplante da PB (CET/PB):

E-mail: transplante@gmail.com – Telefones: (83) 3244.6192 / 3225.6409 / 98845.3516. E o endereço: Na Sala Nº 10, do 1º andar do Prédio Anexo do Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

2- Organização à Procura de Órgãos (OPO):

E-mail: opoparaiba@gmail.com – Telefone: (83) 3216.5746.

3- Núcleo da CET/PB em Campina Grande:

E-mail: nucleocampinagrande@gmail.com – Telefone; (83) 3339.8578 / 3310.5850 R:5804

Publicitário passou por três transplantes e conheceu esposa em grupo de apoio

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.