PSOL articula candidatura própria contra Sarney

O PSOL articula o lançamento de candidatura própria à presidência do Senado em um contraponto ao único senador na disputa, José Sarney (PMDB-AP).

O partido pretende lançar o senador eleito Randolfe (PSOL-AP), o mais jovem a ingressar na Casa, com o objetivo de firmar posição em defesa da ética no Senado na nova legislatura.

"Podemos trabalhar pela candidatura do Randolfe para um pólo contrário à candidatura do senador Sarney. Depois que o Renan [Calheiros] saiu da presidência e o Sarney entrou, não houve nada que reconstituísse o cenário da retomada ética da Casa", disse a senadora eleita Marinor Brito (PSOL-PA).

Se não optar pela candidatura alternativa, o partido vai se abster ou anular os votos em Sarney. "Não votaremos no senador Sarney. Queremos que o Senado e a Câmara se postem de pé em relação ao Executivo", disse Randolfe.

Na Câmara, o partido também não descarta lançar candidato próprio. O PSOL decidiu não apoiar a candidatura do deputado Marco Maia (PT-RS) nem de Sandro Mabel (PR-GO).

"Temos outra visão de governabilidade na Câmara. Um acordão, inclusive envolvendo a oposição, não contribui para esclarecer os problemas que temos na Casa", disse o líder do PSOL na Câmara, deputado Ivan Valente (SP).

Pauta – As bancadas do PSOL na Câmara e no Senado apresentaram nesta quinta-feira uma pauta de prioridades do partido na nova legislatura, que terá início na próxima terça-feira.

O PSOL defende a aprovação da reforma política, com o financiamento público de campanha, além de temas como a democratização dos meios de comunicação e a PEC (proposta de emenda constitucional) que acaba com o voto secreto no Legislativo.

 

Folha Online

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.