Presidentes de Câmaras discutem ‘Parlamento Metropolitano’

Até o final da tarde desta terça-feira, 12, nove dos 12 presidentes de Câmaras Municipais das cidades polarizadas pelo município de João Pessoa confirmaram presença na reunião a ser realizada nesta quarta-feira (13), na Capital paraibana, para discutir a criação do Parlamento Comum da Região Metropolitana de João Pessoa (Parlacrem-JP).

A reunião, coordenada pelo vereador pessoense Tavinho Santos (PTB), idealizador do Parlacrem-JP e líder do prefeito da Capital, Ricardo Coutinho (PSB), está marcada para ao meio-dia desta quarta-feira, em local ainda a ser definido.

Estarão presentes os seguintes vereadores-presidentes: Wellington Viana (PDT), de Cabedelo; José Muniz, do Conde; Givaldo Júnior, de Cruz do Espírito Santo; Durval Ferreira (PP), de João Pessoa; Francisco dos Santos, de Lucena; Marcos Frazão (PSB), de Mamanguape; Edvaldo Guedes (Didi), do PDT, de Santa Rita; e os representantes das Câmaras de Alhandra e Caaporã.

Outros três parlamentares deverão confirmar a participação na reunião ainda na manhã desta quarta-feira. São eles: Mizael Martinho (Fofinho), do DEM, da Câmara de Bayeux; Marcos Aurélio (PT), de Rio Tinto; e o representante da Câmara de Pitimbu.

Na pauta do encontro, o vereador Tavinho Santos adianta que os presidentes de Câmaras vão tratar sobre os primeiros preparativos para a instalação do Parlacrem-JP, que deverá ocorrer na primeira semana do mês de junho, no auditório da Estação Cabo Branco – Ciência Cultura e Artes, localizada na orla da Capital.

O ‘Parlamento Metropolitana’ será um fórum permanente de discussões de políticas públicas, envolvendo os municípios que fazem parte da Região Metropolitana de João Pessoa, nas áreas de infra-estrutura, saúde, educação, turismo, além de outros. “O ‘Parlamento Metropolitano’ terá como atribuição, por exemplo, fazer um diagnóstico das potencialidades econômicas e turísticas de cada município da região”, aponta Tavinho.

“Podemos firmar parcerias para criar projetos para o setor turístico, uma vez que João Pessoa é a porta para o turismo; Bayeux tem um aeroporto; Cabedelo possui o porto e áreas turísticas, como areia vermelha”, avalia Tavinho. Além do turismo, podem ser executadas ações para incrementar, conjuntamente, a economia de municípios, como Santa Rita, que detém a matéria-prima para fabricar a cerâmica; e Alhandra, que tem a atividade voltada para o agronegócio.

A Região Metropolitana de João Pessoa foi criada por meio da lei complementar estadual 59/2003 e compreende, oficialmente, os municípios de João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Cabedelo, Conde, Cruz do Espírito Santo, Lucena, Mamanguape e Rio Tinto. Tavinho defende que municípios como Alhandra, Caaporã e Pitimbu, pelos seus potenciais turísticos e econômicos, também façam parte, através de modificação da lei, da Região Metropolitana.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.