Prefeitura oferece cirurgia bariátrica; saiba em que casos o procedimento é indicado

Fator de risco para diversas doenças, a obesidade aumentou em níveis alarmantes nos últimos anos. O problema atinge uma em cada quatro pessoas de 18 anos ou mais no Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Um dos tratamentos da obesidade grave é a cirurgia bariátrica, procedimento oferecido pela Prefeitura de João Pessoa, por meio do Serviço Municipal de Cirurgia Bariátrica, no Hospital Santa Isabel (HMSI).

A cirurgia só é feita após uma rigorosa avaliação e todo um processo de preparação do paciente, informa o cirurgião Geraldo Camilo Neto, chefe do serviço de cirurgia bariátrica do Hospital Santa Isabel. Ele explica que a cirurgia bariátrica é indicada para pacientes que sofrem com obesidade grave há mais de 5 anos e não tiveram sucesso em controle do peso após medidas clínicas, como dieta, atividade física e medicamentos. “Para indicação do procedimento, utilizamos o IMC (Índice de Massa Corpórea). Pacientes com IMC maior que 40, associado a alguma doença relacionada a obesidade, são candidatos a cirurgia”, ressalta.

Para saber se a pessoa se encaixa no padrão indicado, o primeiro passo para o procedimento é a triagem dos pacientes, cujo parâmetro principal avaliado é o IMC, bem como o levantamento do histórico de saúde. Uma vez que o paciente preencha os critérios, ele será encaminhado para uma reunião com a equipe multidisciplinar do serviço, onde terá um primeiro contato e assistirá uma série de palestras sobre o procedimento, o pré e pós-operatório.

Além de preencher os critérios de IMC, o paciente precisará passar por avaliação com uma série de profissionais da equipe multidisciplinar, composta por nutricionista, psicólogo, endocrinologista, fisioterapeuta e assistente social. “Um time que irá avaliar e preparar o paciente para o processo envolvido no antes e depois da cirurgia. Pacientes que apresentem condições clínicas, psicológicas ou físicas que impeçam a indicação da cirurgia poderão ser orientados e encaminhados a tratamentos para suas condições antes de seguir para cirurgia bariátrica”, destaca o médico.

Cuidados – É preciso seguir à risca todo o preparo feito pela equipe multidisciplinar, que inclui avaliações psicológicas e perda de peso já antes da cirurgia. “É preciso entender que a cirurgia em si é apenas parte de um processo que necessita de mudança de hábitos de vida para se atingir e manter o resultado de perda de peso”, alerta.

Mudanças de vida – A bariátrica, ressalta o cirurgião Geraldo Camilo Neto, exige mudanças no estilo de vida, como reeducação alimentar e atividade física, antes e depois do procedimento. “É essencial adesão a uma rotina alimentar saudável e atividade física regular. A hipertrofia dos músculos do corpo após a cirurgia é importante para evitar o reganho de peso nos anos após a cirurgia”, explica.

O reganho de peso pode acontecer, afirma, principalmente nos casos de pacientes que não aderem a mudança de hábitos de vida: alimentação e atividade física. “O paciente que após a cirurgia mantém uma rotina sedentária, com alimentação desequilibrada, hipercalórica, terá um maior risco de reganho após o período de dois anos”, reforça.

Videolaparoscopia – No Hospital Santa Isabel estão disponíveis para os pacientes as duas principais técnicas de cirurgia bariátrica: o Sleeve e o Bypass. Ambas são realizadas por videolaparoscopia, quando uma câmera é introduzida através da parede abdominal e os órgãos são manipulados por pinças, o que torna os procedimentos minimamente invasivos e mais seguros.

O Serviço Municipal de Cirurgia Bariátrica, que integra a linha de cuidados de pacientes com obesidade grave, foi lançado em dezembro do ano passado pelo prefeito Cícero Lucena e já beneficiou duas pessoas. Mais um procedimento está marcado para esta segunda-feira (17), no HMSI.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.