Prefeito recebe manifestantes que protestavam contra concurso em Patos

Uma mobilização foi realizada na manhã de hoje contra o concurso público promovido pela Prefeitura de Patos. O ato se deu em frente ao prédio da gestão municipal. O protesto foi contra a oferta de um salário abaixo do que esperava a categoria de psicólogo, de R$ 1.042 para lotação na Secretaria de Saúde e R$ 1.200 para a Secretaria de Desenvolvimento Social.

Os manifestantes foram representados por profissionais da área e, também, por estudantes do curso de Psicologia das Faculdades Integradas de Patos, vestidos de preto e carregando apitos e cartazes.

Enquanto realizavam o protesto, eles foram recebidos pelo prefeito Bonifácio Rocha que decidiu atender à comissão de manifestantes e recebeu deles uma carta de intenções, contendo as providências que os psicólogos que devem ser tomadas pela comissão do concurso para reparar as inconsistências.

“Nós recebemos a categoria para conversar e eu disse à comissão de manifestantes que já era uma preocupação nossa essa questão salarial dos psicólogos que está prevista no edital do concurso público, mas os técnicos me repassaram que esses valores estão seguindo uma lei municipal. Aproveitei a oportunidade para explicar a eles que é nossa intenção rever esta questão, mas só podemos tomar alguma medida quando o município respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal, então tão logo a gente consiga regularizar esta situação orçamentária nós vamos rever com bons olhos estas reivindicações”, explicou Bonifácio Rocha.

A representante do movimento, psicóloga Lidiane Rodrigues, falou em nome de todos, justificando a intenção da mobilização, detalhou a carta de intenções, elogiou a conduta do prefeito em ter recebido a comissão e disse que o grupo faria uma participação na tribuna da Câmara de Vereadores de Patos, na noite de hoje.

“Eu quero parabenizar o gestor Bonifácio Rocha pela abertura, por nós dar a oportunidade do diálogo e por ter recebido a nossa carta de intenções, onde consta as nossas principais reivindicações. Foi explicado, de forma detalhada, que a previsão salarial que consta no edital segue a Lei Municipal de 2014, que não foi atualizada e, a partir da redução de gastos que pretende colocar o município dentro da legalidade da Lei de Responsabilidade Fiscal, esperamos que as nossas reivindicações sejam atendidas”, destacou a psicóloga Lidiane Rodrigues.

A comissão do concurso informou que os cargos da Secretaria de Desenvolvimento Social como: Psicólogo, Advogado e Terapeuta Ocupacional tem um salário menor, inclusive, se comparado aos mesmos cargos em outras secretarias do município, a exemplo da secretaria de Educação e Saúde,, porque o edital teve que seguir o estabelecido na lei municipal 4341 de 2014.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.