Pneumonia causa morte de Orlando Tejo aos 83 anos; velório será em João Pessoa

Poeta e folclorista paraibano, morreu na madrugada deste domingo, 1º de julho, aos 83 anos, Orlando Tejo, autor do livro “Zé Limeira, o Poeta do Absurdo”, de 1980. Ele era primo do jornalista paraibano William Tejo e foi companheiro de poesia do ex-governador Ronaldo Cunha Lima. Foi ainda funcionário do Senado Federal.

Ao ParlamentoPB, o jornalista William Tejo Filho, primo segundo do falecido, disse que Orlando sofria de Alzheimer e que sua saúde se complicou em função da doença.

Orlando morava em Olinda há mais de dez anos, desde que se aposentou do Senado Federal.

O escritor morreu em casa, por volta das 3h30. O velório e o enterro ocorrem na manhã de segunda-feira (2), em João Pessoa (PB).

Orlando Tejo nasceu em Campina Grande (PB), em 1935 e sua obra foi registrada por um gênio do cinema: Vladimir de Carvalho no documentário que você pode conferir acima.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), divulgou nota de pesar, neste domingo (1º). O chefe do Executivo estadual prestou solidariedade aos familiares, amigos e admiradores.

“Quero apresentar meus sinceros sentimentos de pesar pela morte do jornalista, ensaísta e poeta Orlando Tejo. Sua longa produção intelectual expressa a importância para a cultura de Pernambuco e do Nordeste, especialmente por sua obra seminal “Zé Limeira – Poeta do Absurdo”, escreveu.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.