Pessoas de 20 a 29 anos podem se vacinar contra o sarampo a partir desta segunda

A segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo começa a partir desta segunda-feira (18). Agora o público-alvo são pessoas com idade entre 20 e 29 anos. A campanha segue até 30 de novembro, quando será o ‘Dia D’, de mobilização nacional para este grupo. A primeira etapa foi destinada às crianças de 6 meses a menores de 5 anos. Em João Pessoa a meta de 95% de vacinação foi atingida no que é preconizado pelo Ministério da Saúde (MS), para crianças com idade de um ano.

A vacina tríplice viral, que também protege contra caxumba e rubéola, estará disponível em todas as Unidades de Saúde da Família (USF), Policlínicas Municipais e no Centro Municipal de Imunizações (Torre), de segunda à sexta-feira.

“O sarampo é uma doença prevenível por vacinação. A importância de vacinar principalmente as crianças é porque elas são mais suscetíveis às complicações da doença, que podem evoluir para óbito, portanto enfatizamos para a importância da prevenção de uma doença que pode ser evitada”, destacou o enfermeiro e coordenador da Seção de Imunização da Prefeitura Municipal de João Pessoa, Fernando Virgolino.

Em 2019 foram administradas até o momento 47.631 doses da vacina tríplice viral. A cobertura em crianças de um ano de idade está em 96,55%, superando o recomendado pelo Ministério da Saúde que é 95%. “A partir da próxima segunda-feira a campanha será destinada aos adultos jovens, que levando em consideração o surto da doença que houve no País, foi uma das faixas etárias que mais apresentou registro de contato com a doença, portanto, convocamos esse público para que buscar um de nossos serviços de saúde para se prevenir”, completou o coordenador.

Dados

Segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde (MS), divulgado no dia 7 de novembro, em 2019, foram notificados 49.613 casos suspeitos de sarampo no Brasil. Desses, foram confirmados 10.429 (21,0%) casos, sendo 8.235 (79,0%) por critério laboratorial e 2.194 (21,0%) por critério clínico epidemiológico. Foram descartados 19.647 (39,6%) casos e permanecem em investigação 19.537 (39,4%).

Em João Pessoa houve casos de sarampo nos anos de 2010, 2013 e 2019. Em 2010 foram 50 casos confirmados e 2013, seis casos da doença. Já em 2019 foram notificados 84 casos suspeitos, com 13 (15,47%) confirmados, com amostras positivas no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba e Laboratório de referência nacional – FIOCRUZ). Sendo, um caso para crianças menor de um ano; dois casos com idades de um a quatro anos; dez casos entre a faixa etária de 15 a 49 anos.

Também devem tomar a vacina: As crianças de seis meses a 11 meses devem tomar a chamada ‘dose zero’. Com 12 meses a criança irá tomar a tríplice viral e com 15 meses a tetra viral. Crianças menores de 5 anos (4 anos 11 meses e 29 dias), terão o cartão de vacinas atualizado e será ofertado a vacina conforme situação vacinal encontrada. Caso a pessoa comprove as duas doses, não é necessário tomar nenhuma a mais, já sendo considerada imunizada.

“Menores de 30 devem comprovar duas doses da vacina com componente do sarampo e, na faixa etária de 30 a 49 anos, a comprovação de uma dose. Se o usuário for profissional de saúde, independente da idade, deve ter duas doses da vacina”, ressaltou Fernando Virgolino.

Sarampo

Os sintomas iniciais de sarampo são febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza e congestão nasal e mal-estar intenso. Após estes sintomas, há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. São comuns lesões muito dolorosas na boca.

A doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte. As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

 

 

 

Foto: Ivomar Guedes/Secom-JP

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.