Pediatras da Paraíba admitem pedir descredenciamento em massa

Os pediatras que atendem aos usuários dos diversos planos de saúde ameaçam pedir descredenciamento em massa. Segundo eles, o motivo seria a grande exploração por parte dos planos de saúde. A consulta médica de pediatra tem suas especificidades em relação à consulta de um adulto: as crianças na maioria das vezes não conseguem explicar o que estão sentindo; estão sujeitas a mais episódios de acidentes e doenças que os adultos; e precisam ser acompanhadas mais vezes no intervalo de 30 dias.

No Brasil, existe um movimento Nacional que tenta resolver o problema, sem ser necessário acontecer o que está ocorrendo em Brasília (DF) e agora já se anuncia em Pernambuco (PE), onde os pediatras estão pedindo descredenciamento dos planos. Isso gera um fenômeno já detectado pelas autoridades ligadas à área: a pediatra torna-se uma especialidade em extinção, pois sobram vagas de residência e faltam profissionais para assumir empregos de pediatras nos plantões (UTI, maternidades, ambulatórios, etc.).

Na Paraíba, o Sindicato dos Médicos (Simed-PB) já foi contatado pela Sociedade de Pediatria para iniciar um movimento pela valorização da consulta médica e do trabalho deste profissional, que para o presidente do SIMED/PB, “é um verdadeiro herói, pois deve estar sempre pronto para atender nossos filhos e, além de trabalhar muito, é mal remunerado. Quem nunca precisou levar seu filho em uma consulta? Não existe nada mais valioso que a saúde dos nossos filhos! E o pediatra tem que ser recompensado de forma justa. Afinal só existe adulto saudável com crianças bem cuidadas”, concluiu Tarcisio Campos.

Em audiência publica realizada em Brasília (DF) o problema foi discutido na terça–feira, dia 08 de dezembro, quando especialistas divergiram sobre o tabelamento dos preços dos serviços de saúde, previsto no Projeto de Lei 1220/07.

O primeiro tesoureiro da Associação Médica Brasileira, Florisval Meinão, disse que a falta de pagamento e de repasse de reajuste das consultas está provocando o descredenciamento de médicos em Salvador (BA). "Em Salvador, os médicos estão ameaçando paralisar os atendimentos pelos planos de saúde."

De acordo com o secretário de Saúde Suplementar da Federação Nacional dos Médicos, Márcio Costa Bichara, alguns especialistas já estão deixando os planos de saúde, como os pediatras de Brasília. Ele disse ainda que os pediatras de Pernambuco também vão se descredenciar. "A coisa está piorando", alertou.

Meinão comparou o reajuste dos planos de saúde com o dos honorários de médicos nos últimos dez anos. Ele disse que os planos de saúde aumentaram 131,19%, enquanto os honorários de médicos foram reajustados em 60%. Já a inflação do período foi de 89,18%.

Segundo o tesoureiro, o preço das consultas médicas pagas pelos planos de saúde é em média de R$ 30, sendo que este valor subiria para R$ 140 se tivesse sido reajustado no período pela inflação.

Para o assessor da diretoria da Unimed do Brasil, José Abel Alcanfor Ximenes, o maior problema que o médico enfrenta é o salarial. Por isso, observou, alguns médicos trabalham em média 54 horas semanais em mais de três empregos. Mesmo assim, disse, "a soma dos três salários não dá um salário digno". Ele disse ainda que há estados em que os planos de saúde pagam R$ 10 ou R$ 12 por consulta.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.