Patrimônio dos candidatos varia de R$ 10 mil a R$ 7,5 mi na Paraíba

A declaração de bens dos seis candidatos ao governo do estado em 2010, registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) revela que, dos postulantes ao Palácio da Redenção este ano, a evolução patrimonial varia de R$ 10 mil a R$ 7,5 milhões. José Maranhão (PMDB) é o mais rico, com R$ 7.504.880,67. O total dos valores declarados por ele é seis vezes maior do que a soma de todos os outros cinco concorrentes juntos.

Ricardo Coutinho (PSB) aparece em segundo lugar, com R$  R$ 805.606,66. Depois, vem Francisco Oliveira (PCB), com  R$ 238 mil; Lourdes Sarmento (PCO) declarou ter patrimônio de R$ 50 mil; Marcelino Rodrigues (PSTU) com R$ 35 mil, e  Nelson Júnior (PSOL), com R$ 10 mil.

As informações sobre os bens declarados por José Maranhão e Ricardo Coutinho foram adquiridas junto à Secretaria Judiciária do TRE. As quantias relativas aos demais nomes na disputa foram checadas diretamente com representantes de cada legenda. Somando-se os valores de todas os seis candidatos que concorrem ao cargo este ano, chega-se a um total de R$ 8.643.487,33.

O montante do valor declarado por José Targino Maranhões chega a R$ 7.504.880,67. O TRE passou o número geral e não entrou em detalhes sobre quais itens foram declarados. Essa informação mais minuciosa deve ser divulgada ainda hoje, segundo previsão da Secretaria Judiciária.

Nas eleições de 2006, Maranhão havia declarado no Candex (sistema de informática disponibilizado pelo tribunal) R$ 7.037.795,90, referente a 41 itens.

Ricardo Coutinho (PSB) declarou, segundo o TRE, um total de R$ 805.606,66 em bens para o pleito de 2010. A corte também não exibiu os detalhes relativos aos bens do ex-prefeito. Em 2008, quando concorreu à reeleição para prefeito, o montante de Ricardo ficou em R$ 409.282,42, de acordo com dados disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O valor, portanto, aumentou 96,83% em dois anos.

O candidato a governador pelo PCB, Francisco Oliveira, declarou como bens para 2010 três itens. Um deles foi uma casa, no bairro do Cristo Redentor, no valor de R$ 180 mil; um carro de marca Polo Sedan, de R$ 45 mil; além de um automóvel Uno Mille, de R$ 13 mil.  A soma de todos eles é R$ 238 mil.

O detalhamento dos valores foi obtido pela reportagem junto ao secretário político do partido, Gervásio Neto. Francisco não disputou majoritárias em outras eleições, por isso não há como fazer comparativos de declarações de bens anteriores.

Poucos bens – Lourdes Sarmento, do PCO, registrou R$ 50 mil, referente a uma casa.  Em 2008, quando disputou à prefeitura de João Pessoa, o valor foi o mesmo. Em 2006, ano em que concorreu novamente ao cargo de governador, foram registrados R$ 25 mil em bens.

Marcelino Rodrigues, do PSTU, declarou um apartamento de R$ 35 mil como único bem.  O menor valor revelado foi de R$ 10 mil, referente a Nelson Júnior, do PSOL.

Na declaração de bens de cada candidato conta a origem e as mutações patrimoniais. Essa exigência da lei têm o pbjetivo de constituir prova em eventual e futuro processo de enriquecimento ilícito no exercício do mandato.

Para isso, confronta-se a situação do patrimônio anterior à eleição e sua evolução durante o mandato, conforme o artigo 94, do capítulo seis do Código Eleitoral.

Jornal da Paraíba

TAGS

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.