Notícias de João Pessoa, paraíba, Brasil

Paraíba registra menor taxa de desocupados do Nordeste no 1º trimestre

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram

A Paraíba registrou a menor taxa de desocupados entre os nove Estados da Região Nordeste no 1º trimestre deste ano, mesmo em um cenário econômico nacional ainda adverso. A primeira pesquisa de 2019 divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), mostra que a taxa de desocupados encerrou no período de janeiro, fevereiro e março do Estado com 11,1%. O índice paraibano de desocupados caiu 0,6 ponto percentual, quando comparado ao 1º trimestre de 2018 (11,7%) e, praticamente, permaneceu estável sobre o último trimestre (11,1%).

No ranking do Nordeste neste 1º trimestre de 2019, a taxa da Paraíba (11,1%) se manteve isolada dos demais Estados da região, inclusive do Ceará (11,4%) com quem dividia até o ano passado os menores índices. Os demais Estados continuaram com tendência de alta como Piauí (12,7%) e Rio Grande do Norte (13,8%); enquanto outros cinco estados: Sergipe (15,5%); Alagoas (16%); Pernambuco (16,1%); Pernambuco (16,1%), Maranhão (16,3%); e a Bahia (18,3%) estão com taxas superiores à da própria Região Nordeste (15,3%), que permanece sendo a maior entre as cinco regiões do País de desocupados (veja o quadro com o ranking completo).

Paraíba tem índice nacional positivo– Mesmo com cenário ainda crítico na economia do País, o índice paraibano sobre desocupados também se destaca nacionalmente e positivamente no 1º trimestre. Além de ter a menor taxa de desocupados do Nordeste, a Paraíba mantém índice menor que as das regiões: Norte (11,7%); Sudeste (12,1%) e também do Nordeste (15,3%), além do próprio País (12,7%). No ranking das 26 unidades da Federação e o Distrito Federal, a Paraíba tem ainda o 8º menor índice do País.

Cai número de desocupados na Paraíba– Em números absolutos da PNAD Contínua, a desocupação caiu de 199 mil para 186 mil os trabalhadores desocupados na comparação do 1º trimestre de 2019 sobre o 1º de trimestre de 2018, o que representou uma queda de -6,6% no número de pessoas acima de 14 anos desocupadas no Estado neste ano. A força de trabalho da Paraíba é de 1,679 milhão de pessoas no 1º trimestre de 2019.

Já os setores que mais contribuíram na Paraíba com a melhora da ocupação no 1º trimestre de 2019 foram indústria geral (14,2%) e outros serviços (13,1%); além de alojamento e alimentação (6,8%); informações, comunicação, atividades financeiras e  administração pública (1,4%); e administração pública, seguridade, educação, saúde (1,4%).

Cenário nacional e regional– Na passagem do quarto trimestre de 2018 para o primeiro trimestre deste ano, a taxa de desemprego subiu de forma estatisticamente significativa em 14 das 27 unidades da federação. As maiores taxas de desemprego foram registradas no Amapá (20,2%), na Bahia (18,3%) e no Acre (18,0%).  Já em relação ao mesmo trimestre de 2018, a taxa subiu em quatro unidades da federação: Roraima (+ 4,7 p.p), Acre, (+3,6 p.p.) Amazonas (+ 2,0 p.p.) e Santa Catarina (+ 0,7 p.p.). Por outro lado, a taxa caiu em três estados: Pernambuco (-1,7 p.p.), Minas Gerais (-1,5 p.p.) e Ceará (-1,4 p.p.).

Houve aumento desse indicador em todas as cinco regiões do País: Norte (de 11,7% para 13,1%), Nordeste (de 14,3% para 15,3%), Sudeste (de 12,1% para 13,2%), Sul (de 7,3% para 8,1%) e Centro-Oeste (de 8,5% para 10,8%). A região Nordeste permaneceu registrando a maior taxa de desocupação entre todas as regiões. Na comparação anual a taxa recuou no Nordeste (de 15,9% para 15,3%) e Sudeste (de 13,8% para 13,2%). Em geral, as maiores taxas de desocupação continuam com os estados da Região Nordeste, enquanto as menores taxas nos da Região Sul.

“A situação do mercado de trabalho, marcada por elevado desemprego e subutilização da mão de obra, assim como pelo crescimento de ocupações típicas da informalidade, está generalizada em todo o País”, afirmou o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo.

Conceito de pessoas desocupadas– O IBGE classifica como pessoas desocupadas aquelas que não estavam trabalhando, mas estavam disponíveis para trabalhar e também tomaram alguma providência efetiva para conseguir trabalho nos 30 dias anteriores à semana em que responderam à pesquisa (consultando pessoas, jornais, etc.).

Taxa de desocupação (%) das pessoas de 14 anos ou mais de idade na região Nordeste por Unidades da Federação  1º trimestre de 2019

PARAÍBA                  11,1
Ceará                        11,4
Piauí                         12,7
Rio Grande do Norte   13,8
Sergipe                     15,5
Alagoas                     16,0
Pernambuco              16,1
Maranhão                  16,3
Bahia.                       18,3
Brasil                       12,7
Nordeste                  14,4

Tags

Leia tudo sobre o tema e siga

MAIS LIDAS

Exaustão, sobrecarga… por que não reconhecemos os nossos limites?

‘Festa da Adoção’ tenta aproximar crianças e adolescentes de pessoas aptas a adotar

Presidente do PT é acusado de cometer etarismo contra Luiz Couto

Anteriores

WhatsApp-Image-2023-05-30-at-10.28.57

Semob-JP realiza campanha e comando educativo para incentivar doação de sangue nesta terça

padre_egidio____foto_reproducao-750x375-1-1-750x375

Caso Padre Zé: audiência de instrução contra padre Egídio de Carvalho é adiada

666bb76c-ae3b-8285-dab9-9bc726fdb94b-800x500

Cícero Lucena decreta luto de três dias e dá nome do vereador Professor Gabriel a escola municipal

enem_202023-900x600

Inscrições para o Enem 2024 começam nesta segunda

WhatsApp Image 2024-05-27 at 15.48.04

Prefeitura de João Pessoa usa drones em ação de combate ao Aedes Aegypti nesta segunda

Luiz Couto 2024

Couto diz que PT sai fortalecido com candidatura própria e aposta em Cartaxo

Raissa Lacerda

Raíssa Lacerda vai assumir vaga deixada por Professor Gabriel na Câmara

Luciano Cartaxo 21

Cartaxo comemora decisão do PT: “Estou feliz e confiante no desempenho”

fabianogomesazul

Fabiano Gomes passará por cirurgia nesta terça em Campina Grande

Luciano Cartaxo e Cida Ramos

PT decide que terá candidatura própria na capital e pesquisa vai definir se será Cida ou Cartaxo