No Senado, Vital do Rego comenta sobre os efeitos do apagão na Paraíba

O Senador Vital do Rego (PMDB-PB) afirmou nesta sexta-feira (04), em discurso no plenário do Senado, que é errado comparar o apagão ocorrido na noite de ontem e madrugada de hoje com o que ocorreu no final da década de 90. Segundo ele, é inegável que o apagão desta quinta e sexta trouxe prejuízos para o país, mas não se pode permitir que haja comparações com os problemas energéticos enfrentados pelo país no passado.

“É claro que o apagão resultou em transtornos e prejuízos de diversas naturezas para o conjunto das populações dos estados atingidos. Não pretendo discutir o mérito desses prejuízos: eles são inegáveis, uma vez que configuram um fato real e eu não sou insano para pretender renegar a realidade”, disse. Porém, segundo o Senador, não se pode permitir que se compare “esse lamentável episódio ao apagão sistêmico ocorrido no final dos anos 90 e início desta década, como pretendem alguns”.

Ele lembrou que o Brasil vai precisar de coragem “para enfrentar os enormes desafios que deveremos vencer para aproveitar as oportunidades oferecidas por este que é ‘um dos melhores períodos da vida nacional’, como disse a presidente Dilma em sua mensagem no Congresso. Dentre os pontos abordados como prioridades de governo, segundo Vital, a presidente tratou infraestrutura, “um gargalo natural quando se concretizam taxas de crescimento como as observadas no último ano, combinadas com a falta crônica de investimentos por quase meio século”.

Falha no Sistema – Vital disse que, por acreditar no Brasil e ter coragem de enfrentar os desafios do país, não se pode aceitar que pessoas mal intencionadas se utilizem de qualquer acidente de percurso para pregar o caos. “Este apagão ocorreu por falha no sistema de proteção e controle do circuito eletrônico da subestação Luiz Gonzaga, em Jatobá-PE, atingindo Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e parte do Piauí, que ficaram sem energia até boa parte da madrugada de hoje”.

Ele lembrou que, segundo o Diretor de Operações da CHESF – Companhia Hidrelétrica do São Francisco, Mozart Bandeira Arnaud, a falha disparou um comando falso que ordenou o imediato desligamento de linhas de transmissão nos diversos estados que compõem o mesmo caminho crítico. “O defeito foi inteiramente identificado e a energia restabelecida. Xingó, Sobradinho e Itaparica foram as primeiras a voltar a funcionar”.

Embora tenha sido um problema isolado, segundo disse Vital na tribuna, “quando a instalação de energia deixou de funcionar, foi provocado um balanço no sistema, afetando outras unidades geradoras e o desligamento de energia nos estados já citados”.

Ainda segundo Mozart Arnaud, o problema aconteceu em uma subestação a qual se conecta uma usina responsável por seis linhas de alta transmissão, de seis mil volts. “Uma cartela eletrônica, do sistema de controle e proteção, apresentou defeito e deu ordem para desligar a subestação, sem que existisse nenhum problema estrutural ou de esgotamento da capacidade instalada”, disse Vital do Rego.

 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.