Nivaldo Manoel deixa o PPS em segredo e presidente admite ação na Justiça

O deputado estadual Nivaldo Manoel deixou o PPS. A migração difere das demais pelo caráter sigiloso que a saída da legenda teve. Em contato com o Parlamentopb, o presidente estadual do PPS, José Bernardino da Silva informou que a desfiliação de Nivaldo aconteceu na terça-feira, 29 de setembro, mas só foi comunicada a ele no sábado, 3 de outubro, prazo final das filiações para quem pretende concorrer a um cargo eletivo em 2010. A explicação para tamanho mistério foi dada pelo presidente da sigla:

"Na terça-feira, ele procurou o primeiro-secretário do partido, Paulo Ribeiro, que é funcionário do gabinete dele, assinou a desfiliação e exigiu que Paulo não comentasse com ninguém. Assim foi feito. Nós tivemos uma reunião partidária na quarta-feira, um dia depois, e Nivaldo participou como se nada tivesse acontecido. Acho esse comportamento vergonhoso e desnecessário. Róbson Dutra e Lúcio Matos também saíram do partido, mas me comunicaram que iria fazer isso. Nivaldo saiu pela porta dos fundos", declarou.

Bernardino adiantou que vai se reunir hoje com o primeiro suplente, Alexandre Brasil e com o advogado Ricardo Sérvulo para analisar quais as providências a serem tomadas no caso de Nivaldo Manoel:  "Talvez hoje à tarde demos entrada num pedido do mandato dele. Foi algo vergonhoso. Não havia necessidade disso", acrescentou o dirigente do PPS.

Em meio a todo o sigilo, especula-se que Nivaldo migrou para o PMDB.

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.