Nilda Gondim defende no MEC a implantação da Escola Técnica em CG

A implantação da Escola Técnica Redentorista (ETER) de Campina Grande foi defendida pela deputada federal Nilda Gondim (PMDB-PB) durante reunião da bancada feminina da Câmara Federal com o ministro da Educação, Fernando Haddad. O encontro aconteceu na manhã de quinta-feira (30), e teve a participação, além de Nilda Gondim, das deputadas Rosane Ferreira (PV-PR), Janete Pietá (PT-SP), Antônia Lúcia (PSC-AC), Perpétua Almeida (PCdoB-AC), Luciana Santos (PC do B-PE) e Juliana Moraes (PMDB-PI), e das senadoras Ana Rita (PT-ES) e Ângela Portela (PT-RR).

O assunto relacionado à ETER já havia sido tratado pela deputada paraibana em recente reunião com o ministro Haddad, oportunidade em que ele assegurou que iria analisar a viabilidade de apoio e atendimento da proposta via recursos do Pronatec. Na audiência de quinta-feira (30), ele acrescentou que, após avaliação, e sendo constatado que a ETER atende aos requisitos estabelecidos pelo MEC, o convênio será firmado.

Após a reunião, Nilda Gondim falou do compromisso firmado pelo ministro perante toda a bancada feminina do Congresso Nacional de manter um time de especialistas nas políticas relacionadas aos pleitos levados ao MEC. O objetivo da iniciativa, segundo comentou, é por fim aos entraves na liberação de recursos que normalmente se devem ao encaminhamento ou preenchimento das documentações, por parte das prefeituras, de forma errada.

O time de especialistas, conforme prometeu Fernando Haddad, estará à disposição dos gabinetes dos parlamentares em tempo integral e pronto para avaliar, in loco, os procedimentos dos gabinetes junto às prefeituras.

Falando especificamente da Escola Técnica Redentorista, a deputada paraibana se mostrou confiante no atendimento de sua propostae lembrou que a ETER está presente hoje em 32 municípios da região polarizada por Campina Grande, oferecendo cursos nas áreas de Informática e Telecomunicações. Segundo acrescentou, a escola conta atualmente com mais de 700 alunos, mas tem capacidade para atender 2 mil estudantes.

Bolsas estudantis – Apesar da importância do serviço prestado pela Instituição Técnica de Ensino à Paraíba, atualmente o Estado fornece bolsas apenas para 200 estudantes, deixando a escola em situação de saldo negativo, conforme salientou a deputada Nilda Gondim.

Ela lembrou que o assunto foi abordado na semana passada, durante reunião da bancada federal paraibana com o presidente da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, senador Vital do Rêgo Filho (PMDB-PB), que se comprometeu a lutar, com o apoio do Serviço Social da Indústria (Sesi), pela destinação de novas bolsas estudantis.

Na oportunidade, Vitalzinho observou que a Escola Técnica Redentorista é a única do gênero no Nordeste reconhecida com o Prêmio de Boa Gestão de Recursos Federais. “Vamos trabalhar para destinar mais recursos para manter ativa a instituição, que é um dos mais tradicionais braços do sistema de ensino da Paraíba”, enfatizou o senador paraibano.
 

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.