Nicolelis comanda grupo de cientistas que ajudará governadores do Nordeste no combate ao coronavírus

O governador João Azevêdo participou, nesta quarta-feira (1), de videoconferência com os demais governadores do Nordeste e representantes do Comitê Científico do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste), ocasião em que foi apresentado o plano de trabalho do grupo formado por cientistas, médicos e físicos, que dará suporte às tomadas de decisões dos gestores estaduais em relação à pandemia do novo coronavírus.

Miguel Nicolelis

O Comitê Científico irá trabalhar com o estudo dos casos de todos os Estados da região para traçar estratégias unificadas de enfrentamento à Covid-19. O grupo é coordenado por Miguel Nicolelis, neurocientista e referência mundial na pesquisa da interface entre cérebro e computadores, e por Sérgio Rezende, físico formado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e ex-ministro da Ciência e Tecnologia e conta com a colaboração de representantes de todos os Estados do Nordeste.

Durante a reunião on-line, o governador João Azevêdo fez uma apresentação das principais ações desenvolvidas pelo Estado para conter a propagação do coronavírus e os investimentos em Saúde para assegurar atendimento aos paraibanos e condições de trabalho aos profissionais da área. “Nós estamos montando um hospital de campanha junto ao Hospital Metropolitano, em Santa Rita, disponibilizando 100 leitos e, posteriormente, 200 leitos. No nosso Plano de Contingência, projetamos 181 leitos de UTI nas três primeiras ondas e, pelo menos, 400 leitos de enfermaria, sendo que cada onda será iniciada a partir da ocupação de 50% da anterior”, relatou.

A representante da Paraíba no Comitê Científico, Priscila Sá, falou do trabalho para montar um banco de dados para estudar o comportamento do vírus no Estado. “Nós vamos, em pouco tempo, mostrar quais as comorbidades, os principais grupos de risco e o que está acontecendo na Paraíba, contribuindo na tomada de decisão para nortear o tratamento dos pacientes e orientar às equipes de Saúde, bem como as medidas restritivas”, pontuou.

Comentários